Quando o casal se ajuda é melhor!!!

Quando o casal se ajuda é melhor!!!

Ter filhos é uma jornada sem fim. Mesmo dormindo Nós mães não desligamos o nosso botão conecto. Ele permanece no stand-by.

Quando temos filhos com necessidades especiais o nosso conetor não entra em standby ele fica ligado o tempo todo.

Os medos que nos assustam durante o dia são potencializados à noite. Medos das convulsões, engasges, apnéias e “ites” que atacam no sono.

E quando encaramos sozinhas a vida de uma criança, tudo fica difícil.  Nos cansamos, sobrecarregamos e muitas vezes por causa da exaustão adoecemos.

Quando na relação a Dois as situações são partilhadas e dando suporte ao outro a exaustão impera por que tomar conta de filhos é uma tarefa árdua e deveras cansativa, porém ela é partilhada.  E eu falo que eu não me canso tanto quando fico 12h na loja  do que quando passo 6 horas com a Valentina (kkk).

Mas voltando, quando falo que a divisão de tarefas ameniza o Fardo de ambas as partes e ajuda a equilibrar a relação, isso é fato. A relação fica descompensada quando NÓS mães estamos extremamente cansadas.

Falo isso por que os meus maiores estresses em casa são quando estou me sentindo exaurida de energia, paciência, tolerância e cansaço físico. As noites de sono mal dormidas deixam lastros negativos no contexto  geral da minha casa. E onde tudo reflete a minha exaustão no MEU esposo PC.

Sempre falo que as MÃES são o Termômetro da casa. Se estivermos bem tudo flui na sua perfeita ordem, contudo  quando algo desanda a casa toda entra em pane.

As Mães precisam estar emocionalmente e fisicamente bem para que o ritmo familiar flua adequadamente.

E para que isso ocorra a Relação e as tarefas precisam ser partilhadas. Não gosto da palavra divisão de tarefas por que apesar de uma casa parecer uma empresa , não é.

Então a partilha é a melhor forma de expressão.

Quando partilhamos, temos as mesmas responsabilidades mas sem a necessidades das cobranças. Na partilha cada um faz uma parte e não sobrecarrega ninguém. Cada um faz a tarefa sem precisar de ser mandado ou pedido.

Tudo Flui melhor quando não existe a tal cobrança. E a cobrança só existe quando há uma descompensação na partilha. Quando o desequilíbrio impera a exaustão é fato e o bolo-louco acontece.

Em casa, procuramos partilhar bem as tarefas, ainda não chegamos no 100% partilha mas estamos no caminho.

Eu por passar muito tempo em função das terapias da Valentina, entro em nível de cansaço emocional muito grande. Não é simplesmente você ir levar, é você estar presente, antenada nas dicas, prestar atenção em como fazer em casa para gerar uma qualidade de vida para a pequena. E isso é muitooooo puxado.  O levar, buscar entra no automático mas a conexão da realidade é que nos suga o emocional. O físíco é recomposto por uma noite bem dormida, aliás por várias no meu caso.. (kkk). Mas a exaustão emocional essa não passa. As cobranças são gigantes, os medos a cada hora muda de nome e isso exaure uma mãe.

E quando na relação não podemos contar com o nosso parceiro é fato que um dia ela acabará pois as energias que temos que investir com nossos filhos são muito maiores que a paciência em manter a vida conjugal.

Tenho recebido muitos relatos de mães que se lamentam que os maridos as deixaram quando souberam do diagnóstico.  Isso é uma realidade tão triste, mas é real. A maioria dos Homens NÃO dão conta emocionalmente dos Filhos por que NÃO falam dos seus sentimentos, das suas dores. Acham que devem ser Super Homens em todos os homens que se fecham em suas ostras e sofrem sozinhos e que a maioria prefere  se eximir do problema do que encarar ele de frente.

Em casa, o papai PC sofreu e ainda sofre. Hoje com mais leveza, pois aprendeu que sou o suporte dele na dor. Que quando tudo aperta ele pode e deve contar comigo. Que as promessas matrimonias estão sendo e foram provadas conosco.

https://diagnosticonaoedestino.com/2016/02/05/e-o-papai-me-aceitou-viva-o-papai-pc/

 

Quando uma pessoa desabafa suas dores emocionais ele consegue superar com maior facilidade o problema. E acaba encarando de forma diferente.

Na Semana passada, estivemos em atendimento na Rede Sarah.E nesse lugar a metodologia da Rede é  de uma abordagem que incorpora a família e o contexto de cada pessoa, no processo de neurodesenvolvimento. E  eles priorizam muito a família no desenvolvimento da criança. Tanto que eles sempre pedem o acompanhamento do pai e mãe, para que todo envolvimemento seja incorporado pelos dois a prioiri e depois que seja perpetuado aos familares.

E lá vemos muitos casais novinhos com crianças as vezes com problemas muito maiores que o da nossa pequena, e vemos que estão lá os dois lutando junto pelos filhos. Mas também vemos muita disparidade de mulheres desamparadas por um abandono. É nítido vermos os semblante entristecido das mães “singles”  ao contrário daquelas que estão com seus portos-seguros. E isso reflete nas crianças e no seu desenvolvimento.

E graças a Deus estávamos lá em Família. Sendo um suporte para o outro, na dor e na alegria também.

Por isso famílias, digo a vocês que é preciso que a Balança das responsabilidades esteja equilibrada para que a relação positiva reflita em crianças felizes e saudáveis.

Um super beijo…

Com mais afinidades e muita Partilha…

Michelle

( A REDE SARAH é a maior rede de hospitais de NEURO REABILITAÇÃO da América Latina e é referência internacional no quesito Neurociências e reabilitação).

Leia Também: https://diagnosticonaoedestino.com/2017/03/18/e-quando-o-pisca-alerta-insiste-em-nao-desligar/

https://diagnosticonaoedestino.com/2016/02/28/e-a-mudanca-comeca-em-nos/

 

CANAL DO YOUTUBE: DICAS DA VALENTINA

Quando o amor de mãe abre a conexão com o céu!

Quando o amor de mãe abre a conexão com o céu!

Vivemos a vida numa intensidade sem limites e sem medir muito as consequências quando somos jovens e singles.

Em vários momentos vamos nos transformando só que a MATERNIDADE é algo transcendental. Mudamos tudo E todos ao nosso entorno. Mudamos valores, sentimentos e  potencializamos poderes sobrenaturais.

Quando nos tornamos mães algo em vibe diferente acontece.

Uma conexão direta com o PAPAI do céu surge. E passamos a ter:

  •  visão além do alance,
  • ouvidos supersônicos
  • pressentimentos
  • coração que se conecta em outra dimensão.
  • Além da boca santa (kkk)

Agora entendi o por que dizem que mãe tem boca santa… Se tornam a repórter de Deus (kkk).

Essa paranormalidade existe, só não sei explicar o que é, então digo que é a conexão com Deus.

Passamos a sentir as dores junto com os filhos, sensações premonitivas e o coração passa a se expressar mais, além da simbiose que acontece.

Viver a maternidade é viver o paraíso com toque infernais. Ser mãe é viver a dualidade de sentimentos a todo momento… Amar que chega a Doer, mas também é amar com desejo do sossego solitário, é poder ter o céu num sorriso e viver o inferno num choro …

Mas quando digo que amar um filho abre a conexão com os céus, acredito que podemos enxergar e sentir o que DEUS sente por nós.  Essa sensação que tenho que a maternidade também nos aproxima dos céus e da nossa salvação.

Quando me tornei mãe me descobri como uma pessoa melhor e mais solidária, amorosa, desapegada e comprometida.  Nunca fui uma pessoa que lutasse tanto pelas minhas coisas  mas depois que fui mãe, vixeeeee (rsrs).

Hoje luto por direitos, auxílio pessoas e quero mudar o mundo. Passei a ter novas aspirações e  inspirações divinas.

Quando a MATERNIDADE é ESPECIAL acredito que vemos o poder de DEUS mais claramente. Nos atracamos na fé por que é a única coisa que nos mantém no foco, esperamos milagres e buscamos por eles. E isso nos aproxima dos céus. Oramos, rezamos, pedimos, imploramos e presenciamos vários milagres diários.

A maternidade especial é transformadora tanto positiva quanto negativamente.

Quando buscamos ver um diagnóstico com outros olhos passamos a ter esperança e a ver novas possibilidades para vida dos nossos filhos.  MAS quando nos limitamos ao diagnóstico e a parte negativa sofremos mais e fazemos eles sofrerem pois a culpa impera e nos deixamos massacrar pelos sentimentos ruins. E isso nos incapacita e nos deixa piores como seres humanos.

Mas a mudança só acontece quando QUEREMOS.  O princípio do querer é o primeiro estágio para algo de bom aconteça. NADA na vida muda se não nos mudarmos primeiro. EM TODOS os sentidos.

ENTÃO vamos deixar o agir de Deus operar MAS vamos fazer a lição de casa.

MUDE a Você Primeiro para tudo mudar.

UM SUPER BJS

E BOM FDS

MICHELLE

Leia também:

O SOFRIMENTO VEM QUANDO IDEALIZAMOS A PERFEIÇÃO.

Como DEUS escolhe as Mães!!

NOS siga nas rede sociais:

FB e INSTAGRAM: MICHELLE BERBERT SANTOS

Canal  do YOUTUBE: DICAS DA VALENTINA

 

 

 

 

 

 

E a adenóide lhe roubou o ar !!!

E a adenóide lhe roubou o ar !!!

Por mais de um ano, Valentina vinha tendo sonos perturbados, com sustos, roncos intermitentes uma sensação difícil de respirar, com uma chiadeira enorme e com vários quadros de infeções respiratórias.

Já havia feito um RX no ano passado que havia demostrando uma grande obstrução, mas como é uma carne esponjosa que na maioria das crianças regride com a idade, acabei me esquecendo de olhar de novo sobre assunto. Apesar de sempre a bichinha estar sofrendo de infeções que eu acabava sempre relacionando a Paralisia Cerebral.

Mas como Deus sempre é bom demais com a gente, ele usou 02 pessoas para falar de um mesmo médico , na mesma semana para mim sobre Adenóide. Além de ELE usar essas pessoas, ELE ainda permitiu que o ouvido da minha tia Márcia se fechasse e ela tivesse que fazer uma cirurgia de urgência para que EU ME ligasse e fosse olhar como estava a adenóide da minha tulipinha.

E quando fomos ao médico, que aliás é sensacional, o Dr. Nobuo ficou espantado com o tamanho que estava no RX no ano passado e pediu um outro para comparar e constatou-se que estava 95% tomada.

Enfim Valentina não respirava, tinha apenas 5% da capacidade e isso a prejudicava na alimentação, na amamentação, no ganho de peso e até nas crises convulsivas. Se não conseguia respirar não tinha oxigênio suficiente e que poderia até piorar o quadro neurológico.  As peças que a vida nos prega!

Eu fiquei APAVORADA, marcamos de Urgência a cirurgia e lá fomos depois de 2 semanas, por que nesse meio tempo ela teve um quadro de infecção respiratória que teve que adiar a cirurgia.

E a adenóide absorveu seu ar  e sua vitalidade. Ohhhhhhhhh carninha esponjosa sem vergonha. Nos tirou o sossego e o ar.

Contudo após ter realizado tal feito, vimos uma melhora GIGANTE  em nossa pequena guerreira. Está mais disposta, alegre, feliz, falante, expressiva, se alimentando e mamando muito melhor. E sono então ficou FENOMENAL.

Por que AGORA ela esta R E S P I R A N D O .

Toda essa situação me deixou bem mal e apreensiva, por que deixei passar uma coisa dessa que poderia ter lesionado mais a minha filha.  ENTRETANTO não vou me culpar com mais essa carga já bastam as OUTRAS mais kkkkk..

E agora estamos bem felizes em como a Valentina está bem e como a cirurgia fez bem para ela. E agora é olhar pra frente e projetar o melhor.. e Ficar atenta a qualquer mudança até os 6 anos por que essa carninha pode voltar a crescer…

Então Mamis de Plantão.. Estejam atentas a mais esse probleminha que pode ser um problemão para nossos pequenos.

Um boa semana a todos…

Bj

Leiam também o texto: Quando o sofrimento é opção…

FB: MICHELLE BERBERT SANTOS

INSTA: MICHELLE BERBERT SANTOS

CANAL YOUTUBE: MICHELLE BERBERT SANTOS

 

 

 

Perder para ganhar!

Perder para ganhar!

No final do ano passado, refleti sobre muitas coisas no que concerne a Valentina. E tomamos algumas decisões que geraram alguns desconfortos a uns MAS que para a Valentina e pra mamãe foram essenciais. Temos pensando que aquele ditado famoso de moda “Menos é Mais” cabe em qualquer lugar da vida. Decidimos então menos terapias e mais brincadeiras.    https://diagnosticonaoedestino.com/2017/01/26/a-diferenca-entre-o-remedio-e-o-veneno-e-apenas-a-dose/

E nessa escolha de menos terapias com mais descanso e brincadeiras demos espaço para ficar mais juntinhas e poder aproveitar mais o tempo.  E escolha tem me deixado satisfeita como mãe e tem deixado a minha Tulipinha mais feliz.

Passamos da correria pilhada de várias terapias no mesmo dia para ter qualidade e quantidade de tempo.   Mas isso tem ME cansado mais pois a intensidade das brincadeiras são cada dia maiores, porém é um cansaço muito mais satisfatório, pois me aproxima mais de uma mundo “normal”.

E com essa mudança tenho vistos progressos nela e uma criança mais feliz e menos estressada.

Então optamos PERDER terapias para GANHAR tempos felizes e mais prazer.

Muitas pessoas acham que se perde tempo em brincar com seus filhos, principalmente os homens que são mais racionais que emocionais, acham assim. Contudo o brincar gerar conexões afetivas, emocionais, motoras e memórias eternas. São nesses momentos que ensinamos conceitos, aumentamos o amor e observamos evolução e crescimento dos filhos.

O brincar em si puramente nos remete a nossa infância, a momento únicos e memoráveis que fazem parte da construção do nosso ser e como esses seres se desenvolveram ao longo da vida.

E por conta as brincadeiras e percepções a minha Tulipa se expressa na forma alternativa de comunicação, que ela quer ser médica igual ao vovô ALAIR (meu papis). Acho que ele andou influenciando ela desde pequena (kkkk )

Meu pai  cuida dela desde bebê com a Ozônio Terapia, nutrologia e medicina ortomelecular  e acho que isso tem influenciado as escolhas dela.. (kkkk), apesar de ela se expressar que quer ser pediatra.. (rsrsr) e não quer cuidar de gente idosa não (me ferrei) kkkk.

Mas voltando no brincar … quando vi essa predileção lembrei que existia brinquedos da maleta médica e quando comprei para ela, ela entrou em êxtase.. Consultou todas as bonecas, a mamãe, o papai… Todo mundo entrou na brincadeira. E foi sensacional.

E por que to contando isso… Por que nós mães especiais ás vezes esquecemos que ELES são crianças como as demais.. que precisamos brincar .. brincar e brincar.. E que muitas vezes os TROLHAMOS de terapias e esquecemos o essencial. ELES São CRIANÇAS.

Quando se tem filhos espeicias temos o sinômio de falta de tempo, pouco tempo nos resta para brincar, pois temos zilhões de atividades, trânsito louco para chegar terapias, corre-corre, escola, alimentação demorada e etc… . A exaustão no fim do dia não deixa  ninguém com prazer no brincar.

E  Com a opção de diminuir radicalmente essa correria optamos pela qualidade de vida de todos. Qualidade de vida física e emocional também.

No brincar em casa com os pais podemos posicionar de forma correta, abrir a mãozinha, fazer a massagem, alongar a perninha tudo de uma forma extremamente poderosa que é o brincar e o brincar com os PAIS .. Eu sou uma pessoa extremamente antenada e perceptiva quanto as coisas e situações da Valentina. Sempre observei as terapias atentamente para que eu pudesse reproduzir brincando e gerando satisfação na minha Filha.

E hoje falo com extrema segurança… Minha TULIPA faz MENOS terapias e Brinca Mais e está em perfeitas condições terapêuticas. Só que com uma diferença… MAIS feliz e Mais responsiva COGNITIVAMENTE.  Com o amor envolvido mudamos padrões e comportamentos tensos para situações prazerosas e relaxantes.

Perdemos tempo físico para ganhar o suprimento emocional.

Filhos especiais demandam energia dobrada e muitas vezes nos preocupamos com o desenvolver dos problemas físicos (sentar, andar, falar, posicionamento) e muitas vezes pela dificuldade de comunicação esquecemos que existe um ser humano ali que precisa de apoio emocional além do físico.

Muitas amigas novas desse mundo diferente tem a mesma angùstia que eu tinha… O excesso.. a piração… a overdose… de terapias.. E hoje depois de muito pensar e analisar a minha filha resolvi partilhar o quanto tenho estado feliz e o quão bem tem feito para minha filha e para mim que está refletindo no ótimo desenvolvimento dela.

Então Papis e Mamis … MENOS pira e Mais Paz no coração!!!!

Uma Boa e FELIZ semana a Todos.. !!!!!

Bjkassssssss

Michelle

FB: MICHELLE BERBERT SANTOS

INSTAGRAM: MICHELLE BERBERT

YOUTUBE: MICHELLE BERBERT SANTOS