Arquivo da categoria: sono

E a adenóide lhe roubou o ar !!!

E a adenóide lhe roubou o ar !!!

Por mais de um ano, Valentina vinha tendo sonos perturbados, com sustos, roncos intermitentes uma sensação difícil de respirar, com uma chiadeira enorme e com vários quadros de infeções respiratórias.

Já havia feito um RX no ano passado que havia demostrando uma grande obstrução, mas como é uma carne esponjosa que na maioria das crianças regride com a idade, acabei me esquecendo de olhar de novo sobre assunto. Apesar de sempre a bichinha estar sofrendo de infeções que eu acabava sempre relacionando a Paralisia Cerebral.

Mas como Deus sempre é bom demais com a gente, ele usou 02 pessoas para falar de um mesmo médico , na mesma semana para mim sobre Adenóide. Além de ELE usar essas pessoas, ELE ainda permitiu que o ouvido da minha tia Márcia se fechasse e ela tivesse que fazer uma cirurgia de urgência para que EU ME ligasse e fosse olhar como estava a adenóide da minha tulipinha.

E quando fomos ao médico, que aliás é sensacional, o Dr. Nobuo ficou espantado com o tamanho que estava no RX no ano passado e pediu um outro para comparar e constatou-se que estava 95% tomada.

Enfim Valentina não respirava, tinha apenas 5% da capacidade e isso a prejudicava na alimentação, na amamentação, no ganho de peso e até nas crises convulsivas. Se não conseguia respirar não tinha oxigênio suficiente e que poderia até piorar o quadro neurológico.  As peças que a vida nos prega!

Eu fiquei APAVORADA, marcamos de Urgência a cirurgia e lá fomos depois de 2 semanas, por que nesse meio tempo ela teve um quadro de infecção respiratória que teve que adiar a cirurgia.

E a adenóide absorveu seu ar  e sua vitalidade. Ohhhhhhhhh carninha esponjosa sem vergonha. Nos tirou o sossego e o ar.

Contudo após ter realizado tal feito, vimos uma melhora GIGANTE  em nossa pequena guerreira. Está mais disposta, alegre, feliz, falante, expressiva, se alimentando e mamando muito melhor. E sono então ficou FENOMENAL.

Por que AGORA ela esta R E S P I R A N D O .

Toda essa situação me deixou bem mal e apreensiva, por que deixei passar uma coisa dessa que poderia ter lesionado mais a minha filha.  ENTRETANTO não vou me culpar com mais essa carga já bastam as OUTRAS mais kkkkk..

E agora estamos bem felizes em como a Valentina está bem e como a cirurgia fez bem para ela. E agora é olhar pra frente e projetar o melhor.. e Ficar atenta a qualquer mudança até os 6 anos por que essa carninha pode voltar a crescer…

Então Mamis de Plantão.. Estejam atentas a mais esse probleminha que pode ser um problemão para nossos pequenos.

Um boa semana a todos…

Bj

Leiam também o texto: Quando o sofrimento é opção…

FB: MICHELLE BERBERT SANTOS

INSTA: MICHELLE BERBERT SANTOS

CANAL YOUTUBE: MICHELLE BERBERT SANTOS

 

 

 

As peças que a vida nos prega!

As peças que a vida nos prega!

Crianças são seres que botam os anjos da guarda em nível HARD de atenção.  Tombos, fraturas, engasgos, beber água de patente e por ai vai.

No caso de filhos especiais temos outras preocupações que deixam também os anjos de cabelos em pé. Engasgos com comida, secreção pulmonar insistentes, crises convulsivas sem explicação e a lista também tende a se estender.

E quando a vida está andando em plenitude e você acha que estava tudo bom demais, vem mais uma pegadinha do malandro que nos tira do centro.

Essa semana tenho vivido um stress sem limite. No domingo passado depois de um sábado bem feliz eis que a Valentina tem a sua primeira crise convulsiva conosco. Nós nunca havíamos presenciado uma crise pois a bichinha só tinha tido internada no hospital quando nasceu.

Um susto sem tamanho, pois é lidar com o desconhecido total. Havia presenciado na vida algumas pessoas que tiveram convulsão e eu estava por perto. Uma vez inclusive segurei a cabeça de uma pessoa na rua para não se machucar. Mas com pessoas de perto eu nunca havia passado.

Valentina acordou de manhã num chororo e o papai foi atendê-la. Ela estava com tosse, sintomas de resfriado e em estado febril, nada que já não tivessemos passado. Porém um certo momento ele chegou falando que achava que ela estava engasgada. Na hora que eu a vi, eu estava deveras sonolenta e não enxergava direito. A medida que fui me recopondo a uma velocidade igual a da luz, vi que a Valentina está convulsionando. E como a crise foi bem diferente de se debater ou ficar virando olhos e cabeça, meu esposo não teve a percepção. Mas graças a Deus que eu havia visto uma vez um vídeo da amiguinha Sarah que tinha convulsões sem controle e vi que Valentina estava fazendo os mesmos movimentos.

Um desespero total tomou conta de mim e do esposo.

Saímos enlouquecidos para o Hospital Infantil. E foi pela Graça de Deus que chegamos em 3 minutos no hospital que estava vazio e foi socorrida muito rápido. Mas em todo esse trajeto Valentina não recobrou sua consciência e continuava convulsionando. Para nós foi uma eternidade.

A crise só passou com medicação e depois de uns minutos no hospital.

Esse foi o segundo pior momento da minha vida. O primeiro foi no dia que ela nasceu. Medos, insegurança, descontrole e ignorãncia tomavam conta de mim. O choro não era opcional e sim a única coisa que eu podia fazer depois de rezar.

Quando passamos em situações extremas tudo que vc tem é a sua fé e a esperança. E Deus em mais um momento providencia a graça.

E quando eu disse no post anterior (https://diagnosticonaoedestino.com/2017/03/18/e-quando-o-pisca-alerta-insiste-em-nao-desligar/) onde eu contava que estava mais tranquila, o meu sensor voltou a disparar freneticamente.

A situação estava andando tão bem, a paralisia cerebral não era mais um bicho papão e estava mais segura com a situação. Mas a vida insiste em me dar Kinder OVO sem ser de chocolate e me trouxe mais uma surpresinha que eu desconheço. A EPILEPSIA.

As convulsões, crises de ausência, crises de risos e outras mais eram situações que eu apenas partilhava das minhas amigas, mas agora estou vivendo também.  Ainda não sei muito o que posso escrever sobre isso, estou em fase de entender e aceitar para depois eu partilhar melhor.

Só sei que nada somos e as situações mudam em segundos.

Estou em fase de esponja: aprendizado e muita observação para poder ensinar aos meus queridos familiares, amigos e poder um dia desmitificar o tema.

Ainda muito recente, estou desabafando minha tristeza e explicando que meu post hoje é mais reflexivo.

Até mais muita fé e esperança para todos..

Obs.. A Valentina está bem e em tratamento para controle de possíveis crises..

E eu em tratamento com Deus da minha ansiedade (rsrs)

Bjs Boas e Melhores semanas.

Michelle

 

Obs 2: Quando falo que Deus coloca anjos na nossa vida, A Dani mãe da Sarah, foi o anjo da vez na nossa vida. Por causa dela que eu soube que minha filha estava tendo uma crise. Obrigada Dani e Sarah por ter me deixado participar de um momento da sua vida que salvou a vida da minha filha. Os “PITACOS” de DEUS

 

 

E QUANDO O PISCA ALERTA INSISTE EM NÃO DESLIGAR!

Desde o momento que se engravida tudo muda para a mulher. São hormônios em ebulição, sentimentos novos, um serzinho se mexendo dentro de nós.

A partir desse momento o nosso pisca alerta acende e jamais se desligará enquanto nossos filhos estiverem conosco. Ás vezes entra em modo stand by mas não deixa de estar ligado.

Quando temos filhos especiais ele entra em status máximo de ação. Pisca freneticamente.

Os cuidados e atenção são redobrados por causa das suas dificuldades cognitivas e motoras dessas crianças.

No meu caso, o meu sensor hoje está mais compassado. Tive épocas de ele até emitir sons de tão alvoroçado que estava.

Como já contei no post E Valentina nasceu… sobre como foi a gestação da Valentina que foi sensacional. Eu não havia dado conta do pisca alerta por que foi tudo lindo e magnifíco.

Mas o Pisca alerta disparou no momento da anestesia para o parto e de lá ele se mantém ligado.

E nessa fase onde nos transformamos por conta as necessidades e realidades, muitas situações novas surgem e nos pegam em muitos medos e desconhecimentos que nos tornam reféns da situação.

O cansaço e exaustão física e emocional acabam potencializando o poder do nosso sensor. E além de toda a carga dramática da vida das crianças especiais, nos deixam um pouco descompensadas e muitas vezes enlouquecidas mesmo. (kkk).

Uma das  coisas pirantes dessa relação que nasceu, foi a alimentação. Alimentar agora não é mais um bicho de sete cabeça, mas ele já foi uma medusa. O medo de uma aspiração, o tempo dedicado para comer, as pneumonias causadas pela bronco aspiração de alimentos e por ai vai, tornam esse momento tortuoso e tenso. E o pisca alerta dispara!

Hoje estamos numa fase não tão fatigante pois aprendemos algumas maneiras de lidar com esse medo e estou mais segura quanto a isso.

Outro momento hard era a hora do sono. Esse ainda em adaptação constante.

O sono é uma das situações que mais me pega como mulher, pois preciso ter horas de sono bem dormidas para enfrentar o dia com bom humor e ainda auxiliar a nossa tulipa.

Todos as mães precisam de descanso pois filhos cansam. Os especiais demandam de nós mais energia , força física e muito emocional equilibrado. E para se ter emocional equilibrado é preciso dormir……

Valentina passou pela fase do medo, do bicho papão, as mudanças e as tites (otites, faringites e demais agregadas). Então o sensor estava no nível hard. E essas descompensações aparecem na hora do sono. Ranger de dentes, choros, padrões primitivos. O sono da casa acaba.

Por isso a importância de colocar em stand by o pisca alerta e deixar o sono fluir .

Para que eu consiga me desligar um pouquinho adotei o “protetor auricular”. Essa medida pode parece egoísta mas foi a única forma que encontrei para que o sensor da maternidade entrasse em stand by .

Quando uso o protetor amenizo os sons. Porque o ouvido ficou biônico depois que Valentina nasceu. Do seu quarto escuto até o som da respiração, sem falar no do ronco do papai (kkk).

E para  a mamãe não enlouquecer.. Protetores de ouvidos 3M!!! A solução para uma noite inteira de serotoninas, melatoninas e endorfinas.. rsrsrrsrssr

Brincadeiras a parte, quero pontuar que nós mamis precisamos de estar ligadas mas o sensor precisa estar na regulagem certa. Quando o sensor se desregula, todo o sistema da casa entra em colapso.

Somos neutralizadoras e também geradoras de conflitos. Então a balança precisa estar em equilíbrio.

Noites de sono contínuo, divisão de tarefas e apoio emocional gestam uma família sadia e feliz…

Borá então ajustar o nosso pisca alerta para que a nossa vida entre em equilíbrio. E com muito soninho bom.

Beijocasssssssssssss bom fim de semana

Michelle

 

 

 

Quando a Cama da mamãe é o caminho!!!!

Quando a Cama da mamãe é o caminho!!!!

Tenho passado alguns períodos de estafa física e mental, por conta de noites mal dormidas, criança doente e um ser novo habitando em nossa cama.. (srsrs).

Desde nascida, a Tulipinha não havia dormido em nossa cama, exceto nos dias doentes. Dormido não é bem o termo, mas descansado o corpinho, por que dormir quando estão doentinhos é uma missão quase impossível.

Mas há um mês a nossa menina tem mudado a sua vontade de lidar com a cama. Quer dormir com a mamãe e sem o papai… Literalmente ela mandou o papai pro sofá.

Valentina dorme em seu berço desde os 2 meses de vida. Sempre coloquei o sono em sua cama como situação sine qua non. Massssss essa situação tem ido por água abaixo por extremo cansaço. Me rendi ao cansaço a ter que levantar quinhentas vezes durante a madrugada para dar aconchego.

Todas as conquistas adquiridas até um tempo atrás, estão dando lugar ao cansaço extremo.

As noites de sono tranquilo passaram a ser noite tortuosas. Choro intenso, demanda de colo, o chacoalhar…..

Será que tudo que conquistamos será perdido???? Pois essas crianças além de safadas e geniosas ficam medindo a nossa paciência. Affff já sofro só de pensar.

E para ajudar existe o clima de inverno que é bem propício a trazermos para nós esses serzinhos.

Ai… Eu me vejo frustrada e com medo de não conseguir voltar a ter rédeas do sono.

O dormir sozinha.

O Estar na sua cama.

O Não acordar a noite.

Vamos ter que começar tudo de novo????  Choros incontroláveis, horas a fio ao lado da cama e muita paciência ….

Afffff to tão esgotada que estou sem energia para começar de novo esse processo de independência sonífera.  Noites sem dormir me fazem perder a linha.

Desde a nossa última viagem Valentina, começou a dormir conosco devido a estar fora de casa e doentinha.

Faz 2 meses  que esse bijuzinho vem apresentando algumas infecções de vias respiratórias, a última veio e por conta de uma aspiração de comida (nunca tinha tido) teve o começo de uma pneumonia. E por conta disso tudo a cama de mamãe é o caminho.

Mas poderia dizer como algumas amigas minhas que é a coisa mais deliciosa do mundo ter o seu filhote na sua cama. NÃO….. EU NÃO GOSTO.

Odeio dormir mal, odeio ser acordada por uma respiração atravessada, odeio ser chutada a noite, odeio não poder me mexer por que possa acordar a bela adormecida. Enfim não gosto de filho na cama para dormir. Não sei se sou ET mas é o mínimo que posso ter de individualidade. De poder sonhar e relaxar. E como estou sendo tolhida desses momentos fico extremamente irritada.

Isso não é que eu não ame ter a minha filha por perto.

Não  !!!!!!!!!!!!!!

Amo demais. Mas preciso desse tempo SÓ.  Se isso é egoísmo ou não .. sei lá… Mas preciso desse momento egoístico (kkk).

Falo que enfrento qualquer situação, mas SÓ se e tiver uma NOITE bem dormida. (kkkk).

Agora consigo entender com plena clareza que quando minha mãe dizia: Filha aproveita para descansar antes de ter filho por que depois a gente nunca mais dorme tranquilo. É Vero!!!!

Obrigada mãe pelas suas noites mal dormidas para que a gente estivesse bem. Quanto valor estou dando ao seu sono.

Enfim o dilema da cama voltou a assombrar as minhas noites e dias…

E Borá tentar dar uma dormidinha…

Boa Noite!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Michelle

bb 14 bb 8 bb 6 bb 3 bb 9