Arquivo da tag: Amor de Deus

Eu AINDA escolheria você Valentina

Anúncios

E a Fé na DOR????

E a Fé na DOR????

Muitas falam em exercício da Fé, quando se tem um problema. Mas as pessoas não imaginam a dimensão das coisas até passar por ela.

É um filho especial, uma doença, uma fatalidade ou uma situação totalmente adversa ao curso da vida.

Valentina e suas missões!!!! mostra como desenvolvi um pouco da minha relação com Deus.

Nossas famílias são cristãs. A minha família é evangélica e a família do meu esposo é católica apostólica romana.  Todos buscam o mesmo DEUS. TODOS buscam o bem para a Valentina na sua visão. Com atritos ou sem atritos o bem comum é o foco.

Apesar de existir diferentes visões da religião sei bem receber as coisas BOAS que nos desejam e deletar as coisas ruins ou que não fazem sentido a mim… Então podem continuar a rezar, orar, energizar….  (rsrsrs)

A minha raiz foi a igreja católica. Estudei em colégio católico, fui batizada e crismada na igreja católica. Porém alguns contratempos da vida levaram meus pais a mudar o rumo da fé. E foi nessas andanças da vida que ela nos apresentou a pluralidade religiosa. Fomos ao budismo, espiritismo, candomblé, Scheio-no-ie entre as várias denominações evangélicas que existem.

Aprendi a diversidade religiosa e isso não me incomoda. Pelo contrário me fez absorver tudo o que as religiões passam de positivo e me dá uma visão ampla das coisas.

Essa bagagem religiosa me abriu a cabeça e me fez crer que não há uma religião absoluta, mas sim num DEUS ABSOLUTO.

Acredito num DEUS tão absoluto que é regido por diversas religiões mas com nomes diferentes.

ACREDITO EM MILAGRES. Milagres diários, anjos em forma de amigos, pessoas enviadas  e usadas por DEUS…. A única forma que não concordo são dos MILAGRES á jato  e como ele acontece em algumas religiões pregam… Mas isso é um problema meu e da minha fé….

No momento de DOR não existe diferença de religião. TUDO é Válido, pois tem uma função em comum. Sabe que hoje eu consigo ver que a a DOR traz a sua beleza… pois na Dor vem as benesses como  UNIÃO espiritua l e familiar. São nos momentos de dor  que podemos sentir a presença e o mover de Deus.

No começo a gente não enxerga  nada além do nosso sofrimento… Mas depois que a vibe ruim passa você enxerga o trabalhar na vida.

Enquanto passamos situações boas, nos esquecemos de Deus, ou melhor dizendo deixamos ele de Lado, pois quando a situação tá tranquilo e favorável .. Esquecemos de agradecer.

Mas quando me vi numa situação de estress extremo e com muito medo de perder a nossa filha linda e cabeluda, pedi ao PAI do CÉU, PELA GRAÇA DA VIDA. Não queria mais nada somente a VIDA da nossa tulipa. Poderia parecer egoísta mas eu a queria de qualquer forma. E Deus concedeu o desejo do meu coração. Como um sopro de Vida ele trouxe a Valentina de volta.

Foi nesse momento que vi o primeiro milagre na vida dela.  Aliás minto o primeiro Milagre foi a gestação dela.

Deus cuidou e cuida dela  desde sempre. E  mesmo na limitação da Paralisia Cerebral, vemos o agir de DEUS constante e diário em nós três.

Sabe aquele filme o “ O Todo Poderoso” com Jim Carrey????? Onde o  Jim Carey começa a enxergar  Deus nos outdoors, nas placas dos carros??? Tenho essa mesma relação de assistência com ele… Ele usa todos os argumentos e situações para falar comigo .. E além de engraçado que é….  ele puxa a minha orelha, é através de uma música no rádio que responde o que eu tava pensando…. Ou é em um bate papo com alguém que fala algo que liga ao que estou passando , é mensagem que brota no Facebook na minha linha do tempo….

Enfim vejo DEUS conversar comigo e me PITACAR o tempo todo.  Os “PITACOS” de DEUS  mostra isso de forma pontual.

E quando olhamos para a Valentina vemos as grandes coisas que tem acontecido a ela, não podemos em hipótese alguma deixar DEUS de lado. Ele tem nos fortalecido, guiado, conduzido e providenciando PESSOAS para nos ajudar na caminhada.

Não sou a pessoa mais espiritualizada do mundo, FIEL de igreja, não rezo diariamente, mas sei  AGRADECER imensamente o que ele tem feito por nós. E o meu jeito de agradecer é ajudar os demais é assim FAZENDO O BEM sem olhar a quem. E com isso mobilizamos muitos em prol de muitos.

E o trabalhar de DEUS em minha vida veio pela vida da minha TULIPA. Ela fez desabrochar  em meu coração o que estava adormecido. Ela me fez uma nova e MELHOR pessoa.

E agradeço a DEUS por tudo que estamos passando por assim me fez diferente e encarar a vida com outros olhos.

Um super beijo da pessoa em transformação

Michelle

Eu escolhi o PARTO NORMAL, SIMMMMMM !!!!

 

Eu escolhi o PARTO NORMAL, SIMMMMMM !!!!

Quando decidimos correr atrás do projeto maternidade, começamos uma busca frenética por informações sobre os tipos de parto, a troca de experiências com amigos, cadastramento em sites de maternidade e etc.

A escolha do tipo de parto é um parto… Muitas mulheres já tem a sua decisão formada do estilo, mas outras ainda não sabem o que esperam desse precioso momento.

Eu desde o princípio escolhi o parto normal.

A minha história familiar era toda propensa ao parto normal, eu e minha irmã nascemos de 7 meses escorregando da barriga de minha mãe.. Um perfeito PARTO NATURAL.

Minha mãe quase nada sofria com o trabalho de parto. Kkk. Um espirro e a gente saia.

Então foi muito natural a minha escolha desse tipo de parto para mim… Fazia parte da minha história.

A minha preparação para ele foi muito legal, fiz aulas de IOGA, sentava em bola de pilates, fazia exercícios regularmente, comia sistematicamente de 3 em 3 horas. Me cuidei muito para esse lindo e idealizado momento.

Sempre avaliei a escolha desse parto, por que queria a situação mais natural para minha pequena. Que o Leite descesse mais rápido, que fosse menos sofrido para nós duas. Queria que ELA escolhesse a hora de vir ao mundo e não que fosse retirada antes de estar pronta a enfrentar a vida externa.

Só havia uma coisa que preocupava a mim,  meu esposo e meus pais. A minha escolisose.  A cultivo desde os meus 13 anos. Eu tinha medo que por conta desse problema eu não pudesse ter filhos de parto normal. Mas essa hipótese foi afastada tanto pela minha médica Fisiatra quanto a obstetra.

Tudo correu em sua plenitude… os ultrassons periódicos, os exames de rotinas, as dores de coluna.  Como as demais amigas grávidas;……. Tudo Tranquilo e favorável.

Até que o dia esperado chegou….  Comecei um sangramento dia anterior, fui para o hospital mas nada de dilatação então recebi alta pela enfermaria para voltar para casa. Fui repousar. Passei o resto do dia relaxando e me preparando para minha BOA HORA.

Minha mãe fez uma polenta com leite que adoro, e comi até passar mal… kkk Esse foi o único abuso durante a gestação toda.

De madrugada as cólicas tipo menstruais começaram e fui acordada pelo começo das contrações. E eu sabia que aquela era a HORA.  Me arrumei, tomei banho, me maquiei e fomos para maternidade. O trabalho de parto começou as 04:56h. As dores começaram a se intensificar, as contrações começaram a se ritmar e Valentina estava chegando….

Optamos pelo parto normal sem dor, aquele que é aplicado a analgesia para evitar a dor extrema. Essa analgesia é bacana quando dosada corretamente. Sei que com 5 de dilatação eu pedi para trocar a forma de parto. PLEASEEEE UMA CESÁREA AGORA!! Mas a médica não deu bola pro meu pedido.

A dor de parto é alucinante, é única e incomparável. Mas momentânea. Passsa e acaba.

Foram momentos tortuosos durante 6 horas. E lá fomos nós para o fatídico momento.

Valentina coroou e foi nessa hora que a médica estourou a bolsa. No momento que ela coroou senti muita dor nas costas e minhas pernas travaram. Nesse momento me aplicaram mais uma dose de analgesia. E foi assim em 1h e meia E Valentina nasceu…

 

Mas na hora do parto nada foi lindo e maravilhoso. Foi tudo muito rápido. Três forças e ela veio ao mundo, mas não me ajudou em nada na saída pois estava anestesiada.  Entrou em sofrimento fetal pela demora. Enfim nessa hora o CALDO ENTORNOU. Por algum problema que não foi identificado pois batimentos cardíacos estava normal. Valentina nasceu por conta de uma força divina e da ajuda de três enfermeiras empurrando a minha barriga.

Blupt … Ela saiu… e ai começou a SAGA do seu nascimento.

Não é por que é um parto normal. Poderia ter passado complicações em uma cesárea. Vai saber?????

Enfim acreditamos numa coisa: O que o está escrito para nós Tá escrito. E o que temos que passar ninguém passará por nós.

Se foi a escolha do parto  que me deu uma Filha especial. NUNCA terei a plena certeza, mas tenho as minhas certezas e convicções  no coração. Mas pela medicina e pelo corporativismo médico NUNCA teremos respostas concretas. Como dizem a OBSTETRÍCIA é uma CAIXINHA DE SURPRESAS.  Os médicos não vão se responsabilizar e assumir cagadas. E assim caminhamos.

Hoje, o que sei que tenho uma LINDA E MARAVILHOSA FILHA, que consideramos presente ÚNICO de DEUS  e um SER QUE VEIO PARA NOS TRANSFORMAR  em PESSOAS melhores.

Fácil não é …. MAS NÃO é o fim do caminho e SIM Um Caminho DIFERENTE.

E bora VIVER a PLENITUDE desse CAMINHO DIFERENTE!!!!

Ahhhhh… e seu eu gostei do parto normal …..???? Muito ….

Mas SE EU faria de novo????  Ainda não sei responder essa pergunta…

Quem sabe se um dia eu passar pela maternidade novamente eu BUSQUE  essa resposta…

Um SUPER beijo da uma TULIPA em seu florescer.

Michelle

PARTO NORMAL.jpggestacao

A Emoção a Flor da Pele!!!!

 

Quando me tornei Mãe, pude entender algumas frases que minha mãe sempre falava. A intuição de uma mãe é extremamente fantástica. Essa intuição só se aflora quando a maternidade bate a porta. As Mães devem ter um ramal direto com o cara lá em cima.

Sentimos, pressentimos e acertamos. Bingo!!!!

Tenho aprendido escutar o meu coração e meus instintos. E aprendendo a LER a minha filha diariamente. Uma árdua batalha, pois Valentina não fala AINDA, mas se comunica muito bem, com expressões, sorrisos, bicos e sentimentalismo a flor da pele.

Essa minha tulipa tem me ensinado que as expressões físicas são muito mais importantes que a vocalizações. O corpo fala com sinceridade. E que sinceridade!!!

Não conseguimos esconder sentimentos na expressão corporal. A boca fala, mas o corpo expressa.

Temos notado que Valentina tem se aperfeiçoado na arte da expressão. A sua limitação verbal tem se compensado na expressão corporal.

A Valentina além de mega emotiva, ela é extremamente sensível, mas não frágil.

Minha Tulipa é extremamente apaixonada pela PEPPA PIG, desde os 8 meses de idade. (aff conheço todas as falas de todos os episódios kkkk). Porém em alguns episódios da PEPPA PIG ao qual existe um conflito “triste”, como uma perda, uma rejeição ou uma briga, ela sofre e sente o desenho. Ela sente e vivencia o desenho como se fosse ela. E essa porquinha tem nos ajudado muito nas relações com a Valentina. Como é um desenho super curto de 5 minutos, sempre com um conflito a ser resolvido e a solução sempre é tomada pela família junta, pegamos tudo de positivo do desenho e trazemos para a vivência diária, fazendo as co-relações no dia a dia.

Assistindo a mais um novo velho capítulo do desenho ao qual a tartaruguinha TIDLES se perde da Turminha, Valentina chora de forma inconsolável. Simplesmente por que a tartaruga se perdeu.  E para acalmar é com muita explicação e muito colo amoroso. (kkkk)

Comprei o Livro “Ei, Cadê Você”, que cota a história de um Pai que perdia a filha e estava à procura dela na fazenda (só que a filha estava o tempo todo nas costas dele de canguru), a Valentina desde a primeira vez que escutou essa história, chorou por 1 hora de forma incontrolável. Tentei ler outras vezes esse livro, mas já na primeira página o choro vem à tona.

Além de algumas músicas que não posso cantar. As músicas cujas melodias são tristes ou a letra transmite algum sentimento mais introspectivo ela também dispara a chorar.

Músicas, livros, filmes e desenhos que tenham histórias tristes, afloraram sua sensibilidade.

A emoção é tão pontual nessa menina, que ela chega a ficar de “mal”. Quando acontece alguma discussão acalorada ou um tom mais ríspido, ou simplesmente uma bronca num amigo da sala. Ela fica extremamente triste e enquanto não houver o pedido oficial de desculpas, ela vira até o rosto para quem estiver envolvido.

Esses dias na escola a tia Jéssica, sua cuidadora, teve que se ausentar da sala e ficou um tempo fora, a outra tia, a Fer, disse que ela ficava só olhando para a porta. E quando Tia Jéssica voltou a Valentina não queria olhar e nem conversa com ela. Foi embora brava sem querer ir pro colo dela. (KKKKK) Se sentiu abandonada.

Minha sogra, Dona Lia, cuida muito bem do meu sogro que tem uma demência senil. Age como uma criança. Os médicos explicam que é um estilo de Alzheimer mais leve. Enfim muitas ações que ele faz o remete a ser criança, então é muito comum minha sogra brigue com ele. Ahhh mas se a tulipa está na casa da Vó Lia, enquanto minha sogra não pede desculpas a ele, Valentina a rejeita. (kkkk) … Chega a ser cômico. A menininha ensinando a vovó que não pode brigar…

Desde muito bebê me deram a dica da previsibilidade. Em tudo que eu iria fazer com a Valentina, eu detalhava. Desde uma simples troca de fralda a uma ida ao Laboratório tirar sangue.

A nossa relação sempre foi e é totalmente aberta e sincera. Não conto mentiras nem a iludo com as circunstancias. Isso a faz se sentir segurança e confiante. Quando vamos tirar sangue, explico de forma normal que ela vai receber uma agulha no braço que vai doer um pouco e depois passa. E é assim que ela responde, dá um choro doido na picada e em seguida já para e começa a mandar beijos para as enfermeiras.

É muito linda e real. Eu não minto nem oculto e procuro cumprir o planejado.

A previsibilidade, rotina e a explicação têm feito muita diferença na vida dela.

O susto nos desnorteia e a previsibilidade nos acalma.

Mas voltando a sua natureza sensível por músicas, sentimentos, sons, vento e principalmente a VIBE das pessoas. Ela se demonstra lindamente incrível. Seu cérebro está compensando a sua incapacidade motora em sensibilidade aguçada.

Em tudo que ela faz ela coloca o coração. Ela lê as pessoas, ela sente e vive a sensação.

Pode ser que ela não ande, não fale, não consiga se desenvolver motoramente, pois a lesão dela foi bem grave. Mas ela tem o cognitivo amplamente desenvolvido. Quando ela tiver o plano de consciência efetivo, essa menina terá ganhos motores sensacionais, pois a consciência vai trazer ela o querer e o querer muda tudo.

Acredito que a frase, “Querer é poder”, vai ser tornar um lema em sua vida.

E nós filha linda, te abençoamos e te dizemos que estaremos presentes com você em tudo. Nas vitórias e também nas adversidades. E estaremos te apoiando em tudo.

E para as mamães de plantão, observem os filhotes de forma intrínseca, pois eles são mais essência do que aparentam.

Um super beijo

Mamãe Michelle

 

A kriptonita e o Amor!!!!

A kriptonita e o Amor!!!!

E quando escuto a seguinte frase que o amor e o tempo curam. Chego a seguinte conclusão que curam mesmo. O tempo ameniza as dores e o amor cicatriza as feridas.
Quando os dias de LUTO do filho ideal se passavam eu entendia melhor o significado do amor curador. A cada vitória superada vejo o amor prevalecendo. Ele é o propulsor para que possamos nos reposicionar, olhar com outros olhos e gerar forças para que alcancemos a superação.

Durante a gestação da Valentina, comecei a entender a dimensão do amor “Ágape” aquele amor sublime, onde você ama sem esperar nada em troca, é o amor mais puro e genuíno. É por ele que nos superamos, ele é que me incentiva a ser uma pessoa melhor.

Foi durante a gestação dela que eu estava na melhor fase da vida. Fiz refeições mega saudáveis, incorporei hábitos diferentes e melhores, pensando nela. Me refiz como mulher afinal me sentia magnífica, linda, barriguda e feliz. Não passei nada mal na gestação, pois estava extremamente saudável e me preparava da melhor forma para a minha mais preciosa pedra. Fiz do meu corpo, o templo da morada plena da minha pequena.

Tive mimos deliciosos por parte dos familiares, só comia comidas saudáveis e de 3 em 3 horas, colocava até meu celular apitando para não passasse fome e deixasse minha princesa esfomeada. (kkk). Fui invadida pelo amor ÁGAPE.

Muitas mudanças físicas e psicológicas aconteceram durante a gestação. No nascimento outras vieram e durante a caminhada muitas estão acontecendo. E vejo as mudanças como forma positiva, pois é amadurecimento e desprendimento total. O AMOR tomando conta do mais sublime momento da uma mulher, a maternidade.

Mas essas mudanças só acontecem para as mulheres. A nossa vida muda totalmente a partir da vinda de um filho. Fora o físico (que tá complicado de voltar kkk), tem as mudanças de visão, compreensão, uma espécie de divindade nos invade, nos deixando sensitivas aguçadas e com visão além do alcance.

Quando um filho chega, por conta dessas revoluções e mudanças, a gente descobre uma nova identidade: “SUPER MULHERRRRR”. ATIVAR!!!! Forma de dona de casa!! Forma de esposa!! Forma de empresária!! Forma de MÃE FALÍVEL.

Ops.. ….. Como assim mãe falível???? Sim, pois somos pessoas NORMAIS, apesar de não nos sentirmos assim, me sentia super mega poderosa, porém quando recebi diagnóstico de PARALISIA CEREBRAL, meu mundo desabou minhas forças se exauriram me vi desmoronar. O diagnóstico foi a “kriptonita” que sugou toda a minha força, meus sonhos, alegria, disposição e serenidade.

Massssss… Como nas histórias de Super Heróis sempre há uma revolução e tudo se transforma por conta de uma força sobrenatural, o AMOR quebrou a criptonita, me reergueu e consegui me transformar novamente em SUPER Mulher, falível, só que bem MAIS forte que antes.

E Viva o AMOR que nos TRANSFORMA….

Obrigada a KRIPTONITA que me fez ser uma PESSOA mais muito mais … FORTE

E viva as SUPER MULHERES FALÍVEIS do mundo….

A você minha menina heroína, o meu mais puro e eterno amor..

Muitas Kriptonitas podem vir, mas o seu amor vai dar forças para derrotar os nossos inimigos invisíveis.

Da sua SUPER MÃE falível!!!

Valentina e suas missões!!!!

Valentina e suas missões!!!

Hoje acordei pensando em tudo que passamos e temos passado. E chego a seguinte conclusão: TUDO É MISSÃO….

Por que missão? Por que a gente não vem ao mundo para nada, temos um propósito ainda não descoberto ou prestes a descobrir…. Mas tenha certeza, todos têm uma missão. Aguarde e você descobrirá!!!!!!

E a missão pode ser sofrida, linda, perfeita, enigmática, alegre ou triste. Enfim a sua missão será da forma como você olhar para ela.

Vejo que a missão da Valentina veio com um propósito bem específico: AJUDAR AS PESSOAS.

Ela começou nos ajudando primeiro. Mudou a NOSSA VIDA e de MUITOS ao REDOR dela. Quando digo mudança é mudança mesmo: valores, amor, respeito, admiração, religiosidade e etc..

Quando Valentina nasceu, que já contei um pouco no post “E VALENTINA NASCEU”, tive uma mudança abrupta de relacionamento com DEUS. Mudei meu jeito de olhar e conversar com ele.

No primeiro momento rezei muitoooooo e tinha e ainda tem muita gente rezando pela vida da Valentina. Depois tive o tempo de afastamento DELE, era a revolta, a dor do luto do filho ideal, da indignação e afins…

Contudo logo MUDEI minha forma de olhar a situação, voltei pro colo DELE e refizemos as pazes e assim me senti aberta ao seu trabalhar.

E quando eu disse que a Valentina tem as suas missões, ela começou ali, trabalhando a relação PAIS x DEUS. Quando a tulipinha nasceu (dá uma lida no post Viagem a Itália para entender essa referência: Tulipinha), ela começou o nosso processo de relacionamento com Deus. Sempre tivemos DEUS em nossas vidas, mas era Ele lá e eu cá.. (kkkk)…. E “DEUS falou assim: Traz seus papais para perto de mim, Valentina”

E assim fomos buscar a ELE.

Gente, que fique bem claro que jamais questionei o PORQUÊ de eu ter recebido uma FILHA DIFERENTE, mas sempre me pergunto PRA QUÊ.

Obrigada Tulipinha pelo nosso RESGATE.

Além do resgate espiritual ela também resgatou amizades antigas, solidariedade e muito amor de pessoas que não a conhecem pessoalmente, mas a amam incondicionalmente.

Valentina, usando de sua evolução espiritual. Foi feita de instrumento para que a minha mãe descobrisse um CANCER de MAMA.

OIII como assim? A Valentina descobriu um câncer na D. Leninha. SIMMMMM.

Valentina tinha uma incordenação de movimentos e há 2 anos, ela estava no colo da minha mãe e teve um reflexo que jogou com a cabeça com toda força nos seios de minha mãe. Na hora minha mãe sentiu uma” dor de estrelas” que permaneceu por alguns dias até ir a um médico. Esses dias até a chegada da consulta, minha mãe estava com muito medo. pois minha avó (mãe dela) teve um câncer de mama quando eu tinha 2 anos (um filme passava na cabeça dela). Então o temido medo era real. Minha mãe estava com Câncer de Mama igual ao da minha avó. E pasmem o exame de mamografia não aparecia, pois era numa região mais alta e muito perto do músculo. Mas Deus enviou o seu anjo da Guarda Valentina, para que fosse instrumento dele, ajudou a vovó Leninha. Olha aí a missão, gente!!!!!!

Valentina, ao que convivem com ela sabe que ela tem um olhar e um amor de transborda o ambiente. Mas com gente doente é incrível. Falo isso por que minha sogra (D. Lia) conta que a Valentina é a companheira dela e de um monte de mulher que participa da Pastoral dos Doentes. Ela é a mascote.. kkkkkk

E a mascote encanta a todos por onde passa. Dos saudáveis aos doentes. A Tulipinha exala amor.

De todas as atividades religiosas que Valentina acompanha a vó Lia, a visita aos doentes é o que ela mais curte. Valentina é uma LADY, pois além de prestar muita atenção no que acontece, na hora da oração, ele sonoriza parecendo que está rezando junto, fica fazendo carinho no doente, uma fofaaaaaaaaaa!!

E última experiência linda ao qual presenciei foi há uns 15 dias atrás, na visita a Tia Denise, mãe de uma amiga de infância Samanta, que teve um AVC há 4 anos e está acamada e com várias debilidades tanto motora, físicas e neurológicas. Poucas vezes fomos lá. Mas assim que a Valentina vê a Tia Denise, em sua cama, ela imediatamente começa a sonorizar e uma vibração positiva invade o ambiente. A primeira vez que apresentei nossa filha a Tia, lágrimas escorreram dos seus olhos inertes e sua boca se mexia numa tentativa desesperada em se comunicar. Mas nessa última visita, colocamos Valentina na cama com ela e na sua inocência e caridade fazia os movimentos de carinho no braço da Tia, de forma incordenada, porém cheia de amor. Enquanto acariciava, balbuciava muitos sons como se estivesse num papo de amigo de longa data. Existia uma conexão fabulosa.

Tia Denise, abria os olhos, mexia a boca e sentia e recebia o amor que fluía do corpo da Valentina. Nesse momento tive a sensação do agir de DEUS. Tia Denise recebia energias revigorantes da Valentina e a Valentina recebia amor platônico da Tia, e nós acompanhantes recebíamos a graça de poder presenciar esse sublime momento e ver a evolução do ser. Elas duas se conversavam e se entendiam e nós seres ditos normais e saudáveis não conseguia ultrapassar a barreira da comunicação.

E termino o meu post com meu coração repleto de alegria e vendo a bondade de Deus, fazendo-nos instrumento da vida das pessoas.

E obrigada filha por nos mostrar o quanto podemos ser pessoas melhores, ser mais evoluídos, enxergar situações além da visão e nos ensinar a amar incondicionalmente….

Obrigada por nos transformar…

E a sua missão, filha!!! #Tamu junto

Por um mundo de mais missões e menos omissões….

Um super beijos da mamãe em constante aprendizado.

Michelle

Os “PITACOS” de DEUS

Os “PITACOS” de DEUS

É um tema bem bacana pois vivo de insigth´s ou mais claramente posso chamar de “pitacos” de DEUS.

Afff o que é isso??? São aqueles momentos que eu não esperava e vem soluções, estratégias, idéias brotando na cabeça e também pessoas inesperadas que aparecem para me ajudar.

Não sei se todo mundo é assim, mas lá em casa é bem comum isso… kkkk Minhã mãe é igual, aliás eu sou igual a ela. Né Manheeee..???

Bom antes mesmo de eu ter a Valentina, eu vivia recebendo os “pitacos” de DEUS. Normalmente eles acontecem durante as madrugadas ou quando durmo à tarde (ohhh saudades desses sonos da tarde).

Esses sonos incontroláveis que tenho quando há um problema ou situação nova que não sei ainda lidar, é o sinal de Deus. O dormir é uma forma de fuga, mas são nesses momentos que vejo Deus trabalhar.

Muitos podem falar que esses momentos fujona podem ter explicação psicológica e blá, blá, blá…. Mas eu acredito que O CARA lá de cima usa isso para eu me conectar com ele. São nos momentos de vulnerabilidade que vejo a ação PONTUAL dele.

Eu recebo muitos “pitacos” sobre todas as áreas, mas no casa da Valentina o CARA ele é fenomenal.

Desde de muito pequena. Deus me preparava para ser mãe de uma criança DIFERENTE. Só entendi isso muito tempo depois que Valentina nasceu.

Eu sempre tive contato com crianças diferentes, e muito amor por ela. E o meu primeiro contato relevante foi com o Helinho. Irmão de uma amiga de infância, a Maureen e sua família fantástica. Eu via aquele menino LINDO na bóia na piscina com a gente e sempre queria estar perto dele, mas eu tinha “medo” de não saber como lidar com ele e comigo mesma. Porém eu ficava perto, brincávamos pela casa mas eu sempre dava um jeitinho de olhar ele. E admirava como aqueles Pais cuidavam e amavam aquele menino DIFERENTE.

Lá Deus já me “pitacava” sobre como eu deveria ser como mãe.

Olha Tia Tânia você nem imaginava, mas vocês foram modelos para mim.  Obrigada por me ensinar a lidar com a diferença COM muito AMOR. O Helinho se foi no ano passado mas deixou histórias para nossa vida.

Ah, sem contar que tínhamos a Regina minha vizinha de frente, que até hoje não sei qual o diagnóstico dela, mas conversávamos com ela através do portão da sua casa. Ela no seu mundo introspectivo e alienado, com seus jornais e revistas na mão, dando voltas pela casa, e eu e minha irmã, brincávamos com ela dessa forma longe e perto. Nós tínhamos medo dela porque não sabíamos o que era. Porém ninguém nunca nos explicou sobre a diferença. Dona Corina, sua mãe, sempre atenciosa e paciente com a sua filha Regina. Dona Corina foi modelo também de mãe e paciência. Obrigada pela serenidade e paz a qual você me transmitia e até hoje transmite.

ENTÃO fica a DICA: PAIS CONVERSEM com seus filhos sobre a diferença, pesquisem falem, tirem o medo dos filhos, tirem medo de vocês. Expliquem de forma clara e objetiva, pois quando  falamos dizimamos dúvidas e medos inconscientes.

Depois tive uma amiga na escola, a Juliana que usava uma bota estranha pois ela tinha paralisia infantil,  o que não a impedia de correr igual moleque naquele Colégio Mãe de Deus.  Obrigada JU, por me ensinar que a limitação estava no meu olhar … Não nas suas pernas…

Também teve o Tiago, um síndrome de Down, que me amava. Esse até me perseguia quando chegávamos na casa de praia em Bombinhas – SC (kkkk), ele era nosso vizinho de frente. Ele me acordava todos os dias com carinho no rosto e me seguia ao caminhar na praia. Ah Tiago que papel importante você teve na construção do meus conceitos. Gratidão!!!

Hum… e o Marçal Marcel, filho da D. Gracinha, esse era o companheiro falante do cursinho. Cadeirante, inteligente, galante, bom de papo e muito safado (kkkk) …  Me ensinou a olhar a diferença sem diferença, além disso me ensinou matérias do cursinho kkkkk. Obrigada amigo, você já se foi…. mas desenvolveu seu papel para a minha caminhada e tenho certeza que você nos olha ai do céu… Valeu Cara!!!!!!

Nessa caminhada até me lembrei muito tempo depois do nascimento da Valentina, quando assistia a uma episódio de “ The Good Wife”, que adoro, onde teve uma cena que tinha um moço com PC(paralisia cerebral) que fazia parte do episódio, me de deu um estalo. Caraca até já “fiquei” com um moço em Camboriú que tinha PC. MEU DEUS!!!!! Obrigada pelo seu TRABALHAR.

Sobre esse caso em específico estou trabalhando o meu ser, pois tive alguns sentimentos sobre rejeição, vergonha e outros que um dia vou discorrer. Não estou preparada ainda. Estou sendo lapidada pois tenho medo desses sentimentos em relação ao que o mundo vai ter com a minha filha, ou melhor que o mundo já tem. Pois nem todas as pessoas são receptivas a diferença. Aliás são bem cruéis.

E o último antes de vir a Valentina, foi o Guilherme, um bebê lindo que me foi enviado como vizinho de porta. Carla, mãe do Gui, eu via a sua luta mas me perdoe não me aprofundei contigo…. Lembro-me o dia que o vi pela primeira vez no elevador, que notei algo de diferente, mas não sabia que era Down, mas meu coração se enchia de amor por ele.  Tivemos pouco contato mas amava quando eu abria a porta do apartamento estava ele sorrindo para mim, com o olhar mais lindo e singelo. GUI você está fazendo parte da nossa história garoto.. Obrigada!

Então DEUS estava me “PITACANDO” desde de muito nova sobre o MUNDO DIFERENTE. Hoje vivo a diferença tentando aproximar a nossa mais perto da NORMALIDADE possível, se é que isso existe, então acho melhor dizer assim perto dos PADRÕES impostos pela sociedade.

Só sei de uma coisa linda: Esse mundo HOLANDÊS  leiam o texto da Viagem a Itália ! para entender quando menciono a Holanda ..  Cheia de TULIPAS lindas precisam ser REGADAS, CUIDADAS e muito AMADAS.

Enfim, estamos visitando os Museus, as tabernas, as fazendas e apreciando a beleza da Holanda, como se eu estivesse na Itália. E aprendendo muito nesta terra DIFERENTE.

E Obrigada DEUS pelos PITACOS e que venha muito e muitos PITACOS em nossas vidas!!!!!!

Beijos Mi e sua Tulipinha