Arquivo da tag: diagnóstico

Mais MUNDO REAL PLEASE!

Mais MUNDO REAL POR FAVOR!!

O mundo anda cada dia mais individualista, egoísta, egocêntrico, capitalista e cada dia mais consumista.

E a essência do SER está sendo deixada de lado, para prevalecer o TER.

Os valores familiares e humanos se perdendo ao meio ao mundo tecnológico.

Esses dias, temos visto casos de adolescentes cometendo suicídio por causa de um jogo. O jogo que ele entrou, pois estava em momento descontraído e se divertindo em redes sociais. Jogo ao qual ele entrou muitas vezes sem saber o que era e pela imaturidade e falta de confiança na família não consegue pedir ajuda para sair.

O que dizer de situações assim: FALTA DIÁLOGO. FALTAM ABRAÇOS. FALTA A FAMÍLIA.

Quando vejo essa molecadinha de cabeça baixa em seus celulares, vejo reflexo DE NÓS MESMOS. Muitas vezes estamos com família e ligados no cel. Ou vamos sair com os amigos e ao mesmo tempo conectados ao mundo ao invés de se conectar a eles.

Hoje temos a sensação da urgência de estar ligado ao mundo 24h.

PRA QUE? Essa é minha pergunta…

O que vai te acrescentar ficando olhando a vida alheia. Olhando a grama do outro e desmerecendo o seu jardim. O que isso vai melhorar??

Na rede tem muita coisa boa, muitos assuntos legais, mas 95% do que vemos e curtimos é a vida do outro.

Fiz recentemente a experiência de tirar o aplicativo do Facebook do meu celular. E vi que existe VIDAAAAAAAAAAAAAAAAA mais plena sem ele.

É legal ter. É legal postar. Mas esses aplicativos acabam nos dominando. Deixamos muitas vezes de realizar atividades importantes por causa do FB.

Perdemos muito o nosso tempo em navegar…

Perdemos-nos em nossas atividades essenciais que precisavam de soluções rápidas por que fui dar uma fuçadinha no FB e a gente acaba se esquecendo do que realmente era preciso fazer.

Depois que exclui o tal aplicativo consigo voltar a ter foco. Não fico tão mais grudada ao celular quanto antes por que entrava uma atualização eu estava lá olhando o que era.

Tenho postado menos e vivido mais. Não ficar mais ativado o ícone celular das atualizações tem me deixado mais feliz e com mais tempo de viver o mundo real.

Fiquei tão desprendida do tal FB que até esquecendo o celular em casa ou no trabalho tem acontecido e não tenho mais ficado nervosa.

Redes sociais e jogos têm nos aprisionados dentro de nós mesmo. Vivemos o vício da Internet, uma droga boa e viciante que sem a dosagem certa nos leva a morte das relações humanas.

Então hoje desejo que muitos possam ter a dosagem certa do tempo nas redes.

Que muitos dos grilhões virtuais que nos predem possamos ter a escolha de nos libertar.

E viver o mundo real que é mais quente e feliz que a ilusão das redes.

Por mais vida real a todos…

Boa semana !!!!!!!!!!!!!!!!!!

Bjs Michelle

Obs. Quando baixamos a cabeça para nos conectar ao mundo virtual perdemos as lindas oportunidades que o mundo real nos oferece.

Anúncios

Por um Mundo Melhor…

E QUANDO PODEMOS FAZER DIFERENÇA NA VIDA DAS PESSOAS.

Depois que tive uma filha especial, me aflorou vários sentimentos BONS no coração. Passado o tempo da amargura, comecei a ver a vida com novos e brilhantes olhos.

Se a gente já passa de um degrau na escala de evolução do ser humano quando temos filhos, quando se tem um especial que vai demandar de você a vida toda, você ultrapassa alguns a mais.

Muitos valores se transformam em uma velocidade gigante e nos transforma para o bem.

Essa mudança é um questão de querer. Desejar ser pessoas melhores e fazer um mundo mais justo e compreensivo às próximas gerações, depende do nosso desejo.

E nesse querer, Valentina me despertou para várias coisas pequenas mas que são extremamente valorosas. O fato de ter uma filha especial não me faz uma pessoa melhor, mas o fato de valorizar a simplicidade das coisas e querer um mundo melhor para minha filha tem me realizado como pessoa que pode fazer diferença na terra, isso sim me faz melhor, tanto para mim quanto para ela.

São atitudes simples como um “bom dia” com um sorriso no rosto  a quem passa do seu lado me traz alegria no coração.

Desde que Valentina nasceu o meu foco de visão ficou voltado para um mundo inclusivo.

E nessa descoberta, vi que fazendo o nosso pequeno papel podemos ajudar a muitos.

Estou descobrindo as minhas missões na vida, uma delas é trazer luz ao conhecimento das pessoas que ter um filho deficiente não é uma cruz, mas pode ser sua salvação.

Quando temos um filho deficiente, valorizamos o mínimo das coisas e apreciamos o máximo com um desejo intrínseco no coração que o nosso filho possa realizar aquilo.

Não invejamos o outro, apenas desejamos que o nosso possa um dia conseguir o mínimo. E quando damos valor nas pequenas coisas podemos ver a grandeza das situações. Valorar aquilo que é extraordinários as conquistas.

E são nas pequenas atitudes que podemos tornar um mundo melhor. E isso começa em casa para poder aflorar para o mundo. Desde o coletar o lixo e destiná-lo corretamente. Respeitar as vagas exclusivas. Não furar as fila nem os “olhos” de outras pessoas. Alegrar-se com o seu quintal e não desejar viver no quintal do outro. São coisas tão simplistas mas que para algumas pessoas egocêntricas isso é TOO MUCH.

Desde que me despertei a esse mundo especial tenho tomado algumas atitudes pró ativas para melhor a condição de muitos que não as tem. Em casa passamos a recolher os lacres das latinhas de alumínio e a destinamos a projetos que transformam lacres em cadeiras de rodas.

São muitas garrafas Pet´s cheias de lacres (140 un) para transformar 01 vidas. Mas se eu, você, o fulano e a corrente do bem começar a fazer sua parte podemos conseguir. Se cada um fizer um pouco chegamos no muito mais facilmente.

Em nossa loja recolhemos os cupons fiscais que os clientes deixam e doamos a uma entidade que cuida de crianças especiais. Lá eles conseguem transformar o imposto em qualidade de vida pra essas crianças. Vai desde a compra de material, cadeiras, órteses, brinquedos.. e por ai vai.

São as mínimas atitudes que transformam vidas.

Do lixo para a qualidade de vida de muito precisa.

Quando aderimos a nossa credencial da vaga exclusiva, sofri muito e ainda sofro de raiva das pessoas que usam a vaga de idosos ou de deficiente. Tenho vontade de falar poucas e boas, mas como as vezes eu sou impulsivamente agressiva e perco a razão(kkkk) então uso o PROJETO MULTA MORAL que além de ministrar educação à aqueles bons entendedores aos néscios traz um pouco de vergonha. (vejam vídeo abaixo).

E com algumas mudanças e o  desejo querer fazer a diferença podemos fazer a corrente do bem e com o nosso exemplo criar nossos filhos como pessoas melhores para um mundo melhor.

Tenho muito a fazer mas começo com as pequenas que afetam o nosso entorno para que um belo dia as muitas pequenas coisas podem se tornar grandes feitos.

Borá lá fazer um Pouquito ????? …

Um beijo no seu coração

Michelle

Leia também:

Toda inclusão depende de como você olha para ela!

O SOFRIMENTO VEM QUANDO IDEALIZAMOS A PERFEIÇÃO.DIAGNÓSTICO NÃO É DESTINO

Valentina e suas missões!!!!

 

Notas: 

*  Para informações sobre a Multa Moral http://www.acessibilidadenapratica.com.br/multamoral/

** Para informações sobre como doar Notas e cupons Fiscais:  

ILECE – Telefone: (43) 3324-3906 – LAÍS 

*** Campanha Eu ajudo na LATA – Unimed 

http://www.tarobalondrina.com.br/secoes/cidades/2016/08/campanha-eu-ajudo-na-lata-beneficia-instituicoes-com-cadeiras-de-rodas/

REPORTAGEM sobre MULTA MORAL EM LONDRINA

http://www.bonde.com.br/bondenews/londrina/conheca-a-multa-moral-motivo-de-constrangimento-para-motoristas-em-londrina-393013.html

 

 

 

 

 

A infantilização nas crianças especiais

A infantilização nas crianças especiais.

Tenho vivido alguns momentos de angústia sobre o tema e estou num duelo referente a isso.

Quando falo em infantilização , lido em um contexto geral e que acontece muito mais em filhos especiais do que os “normais” .

Filhos com necessidades especiais são vistos com olhar diferente. Além de toda dependência física , eles normalmente são de estaturas e pesos menores, e por isso muitas vezes são identificados como bebês ou crianças bem abaixo da faixa etária real.

Eu como Mãe de criança especial tenho muito medo de infantilizar a minha filha, me policio o tempo  todo. No quesito a brinquedos, livros e desenhos, tudo para que ela acompanhe a galerinha da idade dela.

Tento viver o mais próxima da idade real. Porém para as pessoas de fora deve ser muito mais difícil de enxergar isso. Mas eu como mãe tenho o dever e a obrigação de alertar aos demais sobre a idade cognitiva dela, para evitar maiores frustrações além das quais ela já vive.

Toda crianças pequena odeia ser chamada de bebês, então não muda nada para as crianças especiais. O problema é que elas muitas vezes mesmos furiosas não conseguem expressar os sentimentos. E isso deve ser extremamente frustrante.

E eu consciente disso faço uso da empatia e busco sempre traçar as situações com maior realidade possível a ela.

Evito falar com voz de bebê, sempre a chamo de mocinha de  4 anos, dou responsabilidades iguais, chamo atenção, se faz birra leva bronca e ás vezes uns tapas. Tudo igual aos demais.

E esse tema eu venho trabalhando em minha cabeça e no meu coração, para que EU nas minhas “piras” não fruste ainda mais a pequena Tulipa. Muitas situações EU fico brava, EU me sinto mal.

No Domingo passado fomos almoçar em um restaurante rural e a  garçonete super cortês me ofereceu um bebê conforto para eu colocar a Valentina. Na hora eu engoli seco e agradeci e depois comentei com minha amiga JU o quanto eu estava me sentindo perturbada com esse tema e como estava me fazendo mal esse sentimento.

Eu sei que não é por mal que as pessoas fazem pois é dessa forma que elas enxergam a situação. Ela viu uma menina pequena, molinha e no colo fez a conexão que era um bebê.

Os traumas emocionais que as crianças com PC vivem devem ser grandes e precisamos criar estratégias para identificar e minimizar essa dor.

Aqui em casa VALENTINA ainda não fala mas verbaliza através do seu corpo.

Mas tem coisas que precisam ser faladas e no caso dela eu vou TENTANDO  interpretá-las e pontuando verbalmente para trabalharmos isso. Quando estou em plena comunhão e e um nivel elevado de cumplicidade consigo trabalhar temas mais facilmente. Entretando não é sempre que estamos só no foco deles e esse desfocar leva a frustração emocional.

E quando penso que o mundo os enxerga como um bebezões . Temo pelo lado cognitivo. O que isso ocasionará.

Conheço muitas crianças grandes que não tem cognitivo preservado que agem e são realmente bebês de idade mental. Que não sei como lidam com isso e se já pensaram sobre isso.

Muitas famílias que tem o diagnóstico de deficiência acabam não tratando as crianças de acordo com a idade cronológica pois as vezes eles não dão as respostas ao nosso contento mas não quer dizer que eles não estão entendendo. Simplesmente não conseguem responder como a GENTE gostaria que fosse e no nosso tempo. Aprender a escutar e respeitar os tempos diferentes é uma batalha.

Hoje eu estava ajudando a realizar a tarefa da escola e era uma atividade de pintura e depois recortes e colagem. A primeira parte foi super legal… Escolheu as cores, pintou mão sobre mão e ok. Na segunda parte a bichinha não quis fazer, ficou entediada e perdeu o interesse pois demandava de muito esforço motor. Então ela começou a fazer birra, chorar, resmungar até que eu conseguisse entender que ela não queria fazer.

Interpretei que ela não queria continuar a atividade .. ela queria só pintar. E não é que ela não entendeu.. ela simplesmente queria pintar. A respeitei e depois voltamos em outro momento para finalizar a tarefa.

Pessoas de fora iriam entender que ela não havia compreendido a mensagem. E a rebaixariam em termos cognitivos. E isso é o mais normal de acontecer.

Muitas vezes subestimamos  o nível de compreensão das crianças porque achamos que elas não vão compreender.Porém eles entendem muito mais do que achamos. Isso em todas as crianças não só naquelas que tem necessidades especiais.

Então amigos ..

Vamos prestar mais atenção porque esses serzinhos são mais ligeiros que nós.

Um super beijo

Bom carnaval

Michelle

 

A diferença entre o remédio e o veneno é apenas a dose!

A Diferença entre o remédio e o veneno é a dose.

Desde ano passado devido a uma série de acontecimentos e necessidades maternas aflorando, decidi que a vida da Valentina não será mais uma loucura. Faremos o que for necessário e pontual mas não mais um turbilhão de coisas como foi até o final do ano passado.

Resolvi aderir ao movimento slow parenting.

Slow Parenting” ou movimento dos pais sem pressa – É o Movimento que prega a desaceleração da rotina das crianças. Esse movimento que busca desenvolver o ritmo de cada família e respeitando o indivíduo como tal.

Desde o nascimento da minha Tulipa, vivemos uma rotina punk de atividades e com a correria vem os stresses e todos os seus agregados, irritabilidade, tensão, medos e afins…

E em agosto do ano passado, esposo ficou desempregado e essa situação gerou um movimento novo em casa de reestruturação financeira. Muitas opções foram e estão sendo mudadas. Estamos revendo nossas prioridades e necessidades. E foi nesse espaço de tempo onde vivemos uma tensão doida por conta das necessidades da Valentina que despertou em mim  alguns desejos como esse diminuir o rtimo e me conectar mais a ela.

Foi um período HARD com muito aprendizado, aumento da cumplicidade e união familiar. Não foi nada fácil mas aprendemos que podemos viver com muito menos e somos felizes assim. Pudemos exercer o desapego e aumentar a valorização pela nossa família.

Não é fácil ter que baixar o nível de status mas também não é difícil.. É só diferente. E em questão de viver a diferença estamos descolados kkkkkk…

E foi nesse momento de desaceleração financeira que pudemos enxergar as necessidades reais ao invés das necessidades ansiosas da mamãe. E foi muitoooo bom enxergar novas possibilidades. Rever as possibilidades financeiras me abriu o leque para outras situações que eu sempre descartara antes, por conta de conceitos pré-concebidos por mim.

Mas voltando a dose do remédio e conectando a nossa situação acima, pude observar que muito da rotina da Valentina era TOO MUCH para nós duas.

E que toda essa loucura que vivíamos foi imposta pela condição da Paralisia cerebral e da minha ansiedade e medos que me rondavam do que ela realmente precisava.

Eu hesitava escutar os conselhos da minha terapeuta Maribel que sempre dizia que a VALENTINA precisava de brincar ao invés de ter uma rotina tão puxada. Sei que todas as fisio, fono e demais são lúdicas mas são TERAPIAS.

Nessas férias brincamos muitos eu e ela, no chão, na piscina, no parque e  nesse processo de dedicação do brincar fui me resolvendo e pontuando o que eu poderia fazer para me melhorar como MÃE.

E decidi ser MÃE  e não mais mãe-terapeuta. Vou ser simplesmente mãe e estou feliz com minha escolha. Não falo que seja definitiva, mas sim pontual para o que sinto hoje.

Vou dedicar duas manhãs inteiras ao brincar, ao rolar no chão, ao assistir desenho juntas, a ir na biblioteca infantil. E vamos ver como minha linda Tulipa se desenvolverá. Estou bem certa das minhas escolhas…. E feliz com isso.

E a dose de tantas atividades, me tolhiam o tempo de brincar com minha filha. Vamos fazer o básico e brincar muito e veremos resultados surpreendentes. Tuod que é em excesso se torna um veneno.

E quando falo dos excessos em criança não falo especificamente na minha e sim no coletivo. Vejo hoje um nível de exigência muito puxado para os pequeninos.  Incluí- se aulas de  natação, balé, robótica e outras atividades extra curriculares e curriculares em excesso onde nossas crianças deixaram de ser crianças para serem mini workhalics.

Queremos preencher o tempo delas e nos esquecemos de sentar no chão para brincar, vamos para cozinhar e socamos a Tv para distraí-los ao invés de levar os pequenos para terem novas experiências com a gente na cozinha. Deixamos de tomar banho juntos por que demanda mais tempo para brincar.

Mas isso não é fácil pois exige paciência e tempo. E ainda exige um sentimento maior de todos o de QUERER.

Então o que falo a todos vocês amigos ..O  tempo passa tão rápido e a nossa correria do trabalho nos impõe um rotina estressante e estafante mas que ainda há lugar para a gente ficar conectado no mundo virtual.

Bora fazer diferença no mundo real para quem está perto de nós..

Bjs e bom resto de semana com muita curtição com essas lindezas.

Michelle

15895305_10205890402258792_9182822706726524404_n 15826421_10205890406538899_7322425932573668483_n dscn5160 passeio-2 passeio-3 passeio-5 passeio-6 img-20161121-wa0005 img-20161126-wa0009 valentina-cozinheira

 

Quando a felicidade é festejada …

dscn5160

Quando a felicidade é festejada  …

Dias atrás realizei mais um momento mega delicioso na nossa vida. A comemoração de mais um aniversário da nossa Tulipa.

Em meios aos preparativos e a contagem regressiva para  o  dia da festinha, fiz altas reflexões sobre fazer aniversário..

Aniversário é tempo de reviver as alegrias e dores. Hoje partilho mais as alegrias pois  as dores já passaram e as feridas já cicatrizadas que deram um lugar a uma nova pele… Um novo olhar.

A cada aniversário me recomponho e renovam as forças e esperanças.

Fazer aniversário é comemorar as conquistas. É celebrar os amigos, é dar risadas e curtir a nova fase que se inicia.

Olho pra trás,  há exatos 04 anos vejo que sofri por muitas coisas que não aconteceram, sofri por antecipação a toa. Me PRÉ ocupei de situações que eu nunca vivi e acredito que não viverei. Estressei  e  envelheci antes da hora.

Hoje consigo estar mais centrada e olhar a nossa realidade com mais leveza  consigo curtir mais minha filha, dar risada das situações inusitadas e olhar os momentos sem LENTE de aumento.

O fazer aniversário traz marcos na Vida de qualquer pessoa. E esse marcos precisa ser festejado. No caso de crianças com PC temos marcos diferente em tempos diferentes que MERECEM ser VIVAS mais ainda. Quando temos um diagnóstico, muitas vezes somos tolhidas pelas condições, mas qualquer ganho deve ser comemorado.

E a minha tulipa pode perceber o quanto ela é amada e querida, por todas  as mensagens dedicadas a ela no Facebook e no grupos de whatsup. Li uma a uma para ela coloquei todos os aúdios para que ela pudesse escutar as VIBES e DESEJOS mais sincero dos amigos, desconhecidos e amigos-virtuais.

E foi muito emocionante ver a reação dela a cada demonstração de carinho.

Não é simplesmente  fazer uma festa de aniversário, é sim um momento único de poder sentir vibrações novas, descobrir sensações e  enxergar novos progressos.

E fiquei tão feliz com o resultado da festa que estavam 5 grupos de amigos : Amigos da escola, Amigos da Barriga, Amigos do Condomínio,  Amigos das Terapias e Família.  Todos num só espaço comemorando a VIDA da nossa Tulipa e isso deixou meu coração extremante feliz e grato por tudo que a vida tem nos proporcionado. E por todas as pessoas que entraram em nossa vida de uma forma ou outra para que fizessem história dentro da nossa história.

Sou grata a Todos e a Tudo !!!!

Uma BOA Semana exalando ares de Felicidades!!!

Bjs Michelle

15871646_10205890401858782_19191000216308052_n 15940656_10205890405178865_6122995056721372792_n 15895305_10205890402258792_9182822706726524404_n 15826421_10205890406538899_7322425932573668483_n 15826378_10205890406218891_3479593351831356187_n dscn5255 dscn5181 dscn5335

E o tempo passou mas o que ficou nos deixa Feliz !!!

passeio-1

E o tempo passou mas o que ficou nos deixa Feliz !!!

E o ano findou  com muitas lutas e várias vitórias e muitoooo aprendizado.

Não foi uma ano fácil profissionalmente, ano financeiro super complicado MAS um ano de ganhos valorosos da nossa Tulipa.

E não poderia deixar de partilhar com vocês o que essa grande menina  tem alcançado.

Valentina teve lesão de parte motora bem grave devido a uma Anóxia neo natal.  Essa lesão é totalmente de cunho motor. Então o ato de falar, comer, segurar a cabeça, andar  e engatinhar não aconteceu ainda na sua plenitude. O caminho é bem estreito e com muitos pedregulhos mas que com muito amor,  paciência e esperança chegaremos lá…

Massss uma coisa sensacional que Deus permitiu que acontecesse , Valentina tem a cognição perfeita… E isso é tremendo …O ato de pensar não exig e esforço motor .. porém  ele determina muitas ações motoras. E isso é uma  baita  benção de Deus, pois muitas das nossas ações vem do pensar, desejar e acontecer. E isso vai fazer muita diferença.

As situações motoras tem ficados MENOS difíceis, isso não quer dizer que elas não existem.. Sim existem  mas quando entra o desejo de acontecer tudo fica mágico e acontecem num tempo diferente.

Hoje em especial me senti extremamente feliz, fui trocar um Tênis que ela ganhou no natal, e a bichinha ficou olhando a loja inteira com o intuito de comprar algo (kkkk), virou consumista, e provei o tênis no número dela e ela ficou olhando para os outros tênis, o da moda , que brilha quando pisa. Então pedi a moça que eu pudesse ver e experimentar nela…Mostrei como fazia se ela batesse o pezinho e em seguida ela tentou o movimento sozinha para ver brilhar.. E eu fiquei encantada juntamente com as moças da loja.  RESULTADO: ganhou um tênis que brilha (KKK) .

O que quero dizer que não podemos simplesmente  aceitar um fato, nesse caso aceitar que ela não vai conseguir fazer brilhar o tênis pois ela tem que pisar e andar..

NÃOOOO,  eu vou dar a oportunidade de ela conseguir bater os pezinhos e brilhar e a cada movimento que ele fizer sozinha verá o tênis brilhar …. E  quem sabe um dia ela  consiga trocar passinhos e fazer o tênis brilhar sozinha…

O plano  de consciência faz todos nós atingirmos coisas inimagináveis…. e com isso que conto!!!  Conto com as bênçãos dos céus… terapias e com toda a força do querer dela…

O ano de 2016 nos trouxe essa dádiva da consciência e do buscar o aprimoramento do querer e cada dia mais tendo consciência do ser que  é tem trilhado seu caminho.

E que muitos tênis de luzinhas venham para a nossa vida….

Muita Luz a todos em 2017!!!!

Feliz ANO NOVO

Bjs Michelle e sua Tulipinha

Metas de uma mãe especial para 2017…

Metas de uma mãe especial para 2017…

O ano se passou como uma ventania, rápido e chacoalhando tudo e a todos.  Além da correria que nos é peculiar o ano findou e me pergunto se obtive as metas de 2016.

Hummm… Que metas ??? Putz esqueci de traça-las no final do no passado kkkkk  ..

Mais um ano passou e nem me dei conta que havia esquecido disso.

Mas depois de algumas palestras e vídeos motivacionais, tenho pensado sobre as minhas metas e objetivos para 2017.

E quando traço as minhas metas também penso e desejo elas para a vida da minha Tulipa. Não  consigo separar só as minhas metas e sim um conjunto de metas que me envolvem emocionalmente  e  fisicamente.

E as minhas metas pessoais são que me envolvem lado financeiro, físico e espiritual.

Já as metas para a Tulipa são metas totalmente simplista e ao mesmo tempo tão difíceis, mas como dizem que metas são os almejos da alma, as desejo do fundo do meu coração que se realizem e não medirei esforços para que isso ocorra.

Algumas dessas metas para as pessoas que tem filhos “normais” podem parecer bobeiras mas para os “especiais”  é uma tremenda conquista.

Então buscamos para 2017

– Desfraldar

– Desmamar

– Ganhar 01 kg por mês

– Ganhar controle cervical e escapular  pleno

– Ganhar tônus para ficar de pé

– Aprender a mastigar sistematicamente

– Aprender a chupar líquido no canudinho

– Acompanhar  a turminha na escola

– Aprender a sentar e a engatinhar

Ufa, parece pouco e comum a todos, mas para essas crianças isso é OURO, é ganhar o céu e a sua independência.

Já ficarei muito feliz em atingir esses objetivos e ver o quanto luta nos faz forte e felizes.

Então bora traçar as metas para 2017 e que seja uma ano de grandes realizações a Todos…

Um FELIZ NATAL cheio de Luz, paz e muita VITÓRIAS…

Bjs Mamãe Tulipa e Tulipinha

Para entender o por que a chamo se Tuliplinha dê uma lida neste post

A sensibilidade de uma Tulipa!

 

Quando o olhar expressa …

Quando o olhar expressa …

O começo de férias é a época os filhos adoram e as mães enlouquecem. Crianças em casa é divertido mas exige  uma dose extra de tempo, paciência, grana e disponibilidade.

Há uma semana, Valentina entrou em férias e se recusou terminantemente a ir a escola para a Colônia de Férias, mesmo eu tendo todas as artimanhas não consegui dobrar a bichinha. E acho até lógico o pensamento dela… Escola é escola.. E colônia de férias é diversão com a mamãe.

Consegui dar uma escapada da loja, para que eu pudesse me dedicar exclusivamente  a minha pequena moleca  e fazer programas que me aproximasse mais e a visse a cada momento mais feliz.

Então resolvi montar roteiros ao qual eu fazia quando era pequena e me sentia muito feliz. Coisas simples que as crianças de hoje em dia não tem mais.

Voltei ao passado e saudosa como estou pude reviver muitos sentimentos bons que me remeteu a minha infância e que pude mostrar isso a minha tulipa e a deixa-la  feliz também pela simplicidade. E sabe o que mais eu pude perceber que a felicidade que ela expressava através do olhar e seu sorriso, me indicava que eu estou no caminho certo.

Fomos a passeios simples, como  uma volta no centro da cidade e sentar para tomar um sorvete que o sorriso mais lindo eu puder ter. No simples dedicar umas horinhas a fez tão feliz que irradiava felicidades.  O seu olhar expressava .. seu corpo falava e seu sorriso encantava.

E essa alegria foi estendida aos primos que levamos juntos e puderam se expressar verbalmente  que eles estavam felizes e eu que eles estavam muito gratos comigo. E te pergunto o que ofereci a eles?????

Ofereci meu tempo, minha alegria e disponibilidade em estar EXCLUSIVAMENTE para eles.

Hoje no mundão que vivemos, é tão difícil de nos desconectarmos da vida virtual para vivermos a vida real e dar vivência aos nossos pequenos.

Muitos não podem dar essa quantidade de tempo que eles desejam .. mas podem dar qualidade de tempo no momento que estiverem com eles…

Então … Bora desligar do virtual e viver o real… porque os dias passam e eles não voltam…

Bom final de semana cheio de deliciosas experiências.

Bjs Michelle

 

passeio-6 passeio-5 passeio-4 passeio-3 passeio-2 passeio-1

 

O SOFRIMENTO VEM QUANDO IDEALIZAMOS A PERFEIÇÃO.

O SOFRIMENTO VEM QUANDO IDEALIZAMOS A PERFEIÇÃO

Ontem foi o dia de comemorar a diferença e a felicidade. Tivemos a festa anual da turminha da Fisioterapia da Tia Marta.

Essa festa tem um significado muito grande a todas as famílias que estavam lá. Pois é onde o nosso processo de desconstrução acontece e vemos a vida por um ângulo bem diferente: O ângulo da felicidade.

Nesse ambiente  temos todos os lados da diferença … Uns com mais, outros com menos e outros com nada. Mas uma coisa é comum a todos a ALEGRIA. Sentimos que os sentimento alegria exala pelos poros e acaba contagiando quem chega mais tristonho.

A partilha da dor e união desse grupo e das profissionais MÃEZOCAS que são, faz com que vejamos as  deficiências de forma mais natural. Quando deixamos de sofrer pela perfeição (que não existe) enxergamos uma beleza nas situações.  Quando deixo de olhar o meu nariz torto consigo ver a beleza dos meus olhos verde. É simplesmente mudar o foco da visão.

Essa semana em especial tenho escutado muito sobre a VISÃO. Que tamanho tem a minha visão? Que foco tenho dado? Como anda o meu olhar? E ontem eu pude perceber que o meu olhar na direção certa vai me fazer cada dia mais feliz e poder contagiar o mundo com a alegria de viver.

E quando percebo que ser PERFEITO é tão utópico consigo ver muitas belezas além da perninha torta, o peso que não consegue atingir, a cadeiras de rodas, a órtese. Devemos olhar as coisas com o olhar de criança onde ele olha a órtese e fala: “Mamãe olha que legal a Bota da Peppa PIG”.  Ou então olha o estabilizador de ficar em pé e diz: “Uaaaau que legal.. um carrinho de romelã de pé.”

É nesse sentido que  digo que devemos olhar a vida com mais alegria e menos sofrimento.

Perdi tantos dias da minha vida sofrendo para escolher uma cadeira de rodas sem parecer cadeiras de rodas… kkkk … Relutei tanto ao uso das órteses por que mostravam a tal imperfeição …. E quando olho para isso de forma mais natural e bela consigo ser feliz e trazer menos sofrimento para a Valentina ao ter que usar os acessórios necessários.

Um processo de desconstrução total que me faz ver que as coisas podem ser belas mesmo  sem ser “perfeitas”.

Eu quando tinha 13 anos de idade, tive um problema de coluna que precisei usar um colete horroroso para ajudar no processo de não evoluir a escoliose. Lembro-me  na época que chorei apenas UMA vez em ter que usar o aparelho. Eu precisava usar 23h por dia ele. Só retirava para fazer fisio e tomar banho, de resto dormia, brincava, estudava tudo com o aparelho. Mas foi na  primeira festinha dançante que tive que ir com ele, que eu chore. Eu achava que ninguém iria querer dançar comigo, que iriam me achar horrorosa. Mas como minha mãe sempre me explicou a necessidade de uso de tal aparelho, lá fui eu a ROBOCOP MENINA. Cheguei acanhada (que não me é natural) e para minha surpresa já fui convidada de primeira para dançar e pasmem, dancei todas as  músicas LENTAS  nem a vassoura (dança da vassoura) eu peguei. (kkkkkkkkkkkkkkkkkk)

O que estou querendo mostrar com essa historinha é que quando deixamos de ver a beleza na imperfeição, sofremos e tendemos a fazer os que estão próximos a sofrer junto.

Então digo a você nesse lindo dia…. MUDE O FOCO e Deixe de olhar o lado RUIM … e Passe a ver as coisas boas e SERÁS FELIZ !!!!!!!!!!!!!!!

Bora ser feliz galera ….

E um MARAVILHOSO Fim de Semana repletos de mudança de VISÃO….

Bjs Michelle

Quando os sonhos se tornam realidade…

Quando os sonhos se tornam realidade…

Temos vivido experiências muito positivas em relação a paralisia cerebral da Valentina.  Posso dizer com categoria que hoje, quase 04 anos de vida dela, estamos mais fortalecidos e encarando a situação totalmente diferente de antes.

O antes tudo era monstruoso, agora estamos na FASE Sherk, o ogro legal.. (kkkk). Existem  ainda alguns monstros que volte e meia nos assusta MAS não nos amedronta mais.

Bom.. quanto aos sonhos se tornando realidade, foi um tema de um post bem melancólico que fiz sobre  a realidade x desejo, naquele momento era o que eu sentia.. e fazia sentido para mim…E Hoje a inveja BRANCA bateu nos meus olhos..

E um dos comentários foi: “ Ahhh como eu gostaria que minha filha fizesse birra em frente a Ri Happy” . E nesse último sábado dia 19/11/16, estivemos fazendo a visita a casa do papai noel e depois fomos à Ri Happy para que ela me mostrasse do jeito dela, qual seria o brinquedo que ela quer. Na verdade eu queria a confirmação, pois por várias vezes ela disse que queria a tal boneca que anda, fala e fecha os olhos para dormir.(kkkk a Peppa Pig  fala assim).

E  ela simplesmente confirmou o que ela vem se expressando há uns 2 meses … Que ela queria A TAL Boneca

E na loja ela viu a baby alive (caríssima por sinal), mas ela quer essa.

Mostramos diversas outras, visitamos todos os corredores da loja, e o pescoço sempre virava em direção ao corredor que ela queria que eu a levasse.

Com muito custo,  muito choro e BIRRA, saímos da loja com uma boneca BEMMMM mais simples . Isso aconteceu depois de mais de 01 hora de estar na loja.. e muito bem explicado as situações e por ques…

Tudo que faço com ela, uso os estímulos sensoriais. Olhar, tocar, sentir cheiros, escutar para que as sensações possam ser aprimoradas. Como sou seus braços e pernas… ajudo nas escolhas motoras… mas nas cognitivas nem as roupas não mando mais.. (kkkkk) .. A escolha é toda dela… em tudo.. Laços, sapatos, roupas.. tudooooo… E  não adianta insistir que tem um gênio bem forte e decidida. (graças a Deus)… O NÃO é bem certeiro..

Um dia a Neuro dela disse que eu iria me surpreender com o cognitivo dela e isso tá acontecendo…. Da maneira dela, ela está conseguindo se comunicar e se fazer entendida.

E quanto a BIRRA, fiquei extremamente irritada e envergonhada na hora, PORÉM MUITO feliz, pois desejei muito isso.

Então hoje o que deixo e digo, Sonhem .. Desejem ..Eesperem pois as situações podem demorar mas acontecem… Borá sonhar!!!!

Boa semana e repleta de REALIZAÇÕES de sonhos…. !!

Bjs Michelle

DIAGNÓSTICO NÃO É DESTINO

Valentina comendo chocolates ...
Valentina comendo chocolates …

DIAGNÓSTICO NÃO É DESTINO

Quando pensamos em uma doença degenerativa, síndromes, deficiências e outras mais, logo traçamos destinos para essas pessoas. Normalmente a limitamos a um caminho triste, frio e sem esperanças.

Nos apegamos somente ao lado sombrio do problema e muitas vezes colocamos o ser humano que está vivenciando a tal situação como um ser que não terá  uma “vida” feliz pela frente.  Os limitamos de acordo com a nossa visão e esquecemos que ele s são felizes assim do jeito deles.

No caso da nossa Tulipinha, que é portadora de paralisia cerebral. E que fique claro que o problema dela não é uma doença e sim um estado permanente de uma situação. A  deficiência dela não nos limitou pelo diagnóstico. Traçamos, queremos e buscamos a normalidade para vida dela do jeitinho que é possível para ela.

E o que é normalidade? É viver de acordo com o que temos. Valentina é NORMAL para nós. Ela não conhece uma situação diferente, então para ela o que  ela vive é normal.

Temos dificuldades sim, limitações de montão. Porém não serão essas coisas que nos impedirão de ser feliz e a tratar com a dignidade de qualquer ser humano.

O que fazemos de melhor é entender e RESPEITAR o tempo e a hora dela.

E esse jeito natural de ver as coisas vem a partir da aceitação pura no coração. E que por mais problemas que poderemos ter ou temos, não é impeditivo para sermos FELIZES.

Vivemos intensamente a  nossa vida. Rindo, chorando, curtindo e sofrendo como todo mundo.

Não foi o diagnóstico que nos tirou a alegria e felicidade em viver.

Então o que digo ( e estou numa fase de dizer kkkk) … NEM TUDO É TÃO RUIM ASSIM … também tem seu lado bom… é só mudar o foco.

#segue a dica: Mesmo com suas doenças, limitações, síndromes e deficiências nunca deixe de ser feliz. A FELICIDADE e ALEGRIA tornam o fardo mais leve.

Boa semana com muito sorriso no rosto e alegria no coração..

Bjs Michelle

 

Mudanças negativas geram ações positivas …

Mudanças negativas geram ações positivas …

Por exato 3 meses, não tenho postado nada. Por várias questões, falta de tempo, falta de vontade, falta de inspiração e  vários contratempos no caminho..

Mas eu volteiiiiiiiiiiiiiii…. agora pra ficarrrrrr …. kkk

Bom… Mas vamos ao assunto…. As tempestades vem … às vezes duram muitos dias … Mas passam .. Estamos no meio da uma tempestade em pleno mar á deriva… Mas logo chegaremos em terra firmes…. com um tempo bom.

Nesses três meses de inatividade virtual, mudanças positivas e negativas aconteceram …

Mas vou focar só no positivo porque o negativo está sendo processado e digerido.

  • Mudamos de fonoterapeuta…
  • Valentina fez Botox nas pernocas….,
  • Fizemos o tão temido exame de eletro (para mim é um MONSTRÃO).
  • Tulipinha mais grudada com o papai (adoooooooro)  E o Papai me aceitou !!!! Viva o PAPAI PC!!!

As mudanças aconteceram no tempo que são para acontecer, algumas me arrependo de ter sido tão resistente as mudanças. Muitas demoraram muito para acontecer (kkkk)

E por que prolonguei tanto???? Essa pergunta me aflige  e me liberta a mesmo tempo.

SOU MÃE, humana, medrosa, resistente e incerta… com muitos monstros me rondando.. Por muitas vezes os meus MONSTROS foram maiores que a minha racionalidade.

Vou pontuar uma a uma das mudanças para que vocês entendam e não caiam no mesmo erro tolo meu.

A mudança de terapeuta me fez enxergar que EU não queria aceitar novas mudanças pelo medo de recomeçar todo processo novamente. E Foi uma excelente mudança para ambos os lados. Tia Ana viu que a terapia não estava mais evoluindo e eu angustiada por que a Valentina não curtia mais ir. Ia chorando, não deixava manipular… Mas graças a Deus que esses anjos em nossas vidas nos dão toques. E assim foi… Mudamos para uma nova FONO que esta trabalhando a área que sempre me afligiu a COMIDA. Valentina come comida um pouco amassada agora, não mastiga muito mas consegue agora sentir PRAZER na alimentação.

A hora da comida sempre foi muito tortuosa para ambas as partes, eu sempre dava comida para ela numa tensão danada, levava 50 a 60 minutos para comer um pouquinho, e a Tia Renata a nova terapeuta conseguiu essa desconstrução sobre a alimentação. Hoje Valentina quer comer até sanduíche, aliás tudo que estamos comendo, a bichinha que. Já abre a boca para que possamos dar. Mudou completamente a relação com a comida.

O desprazer virou prazer… Upiiiiii… Graças a Deus…

O segundo tema sobre a aplicação de Botox…. Genteeee isso me deixava enlouquecida… sempre resisti.. por muita ignorância sentimental.

FOI uma das melhores coisas que fizemos… O relaxamento do músculo que ele provoca fez com que a minha filha tivesse a ótima sensação do ficar de pé sem dor e do sentar …

Mães … se seu filho precisar aplicar NÃO HESITE em fazer …. FAÇA pela qualidade de vida deles. …

E quanto ao temido exame de ELETRO.. ahhh esse me pegava …

Há tempos eu vinha reclamando a nossa neuro, que o sono da tulipa andava bem conturbado.. isso já vem desde abril… assim… essa preocupação se dava ao fato de ela poder convulsionar durante o sono e nós não identificarmos. Fui em várias clínicas porém não estavam mais sedando as crianças… E é obvio se ela não estiver sedada é impossível fazer o exame de ELETRO, pois eles precisam ficar quietos e imóveis… E como faz assim?? Não faz né..

Por isso demoramos tanto para realizar o tão temido exame. Depois de exatos 6 meses deu certo, sedaram e  GRAÇAS A DEUS… ELETRO NORMAL…

Ufaaaa!!! Outro monstro pra debaixo da cama kkkk

E a parte mais gostosa de todas do turbilhão negro das emoções, que no meio de um desencaixe que o papai está passando por conta do trabalho, Tulipinha acabou gostando de ver ele mais em casa e grudou nele.. Tá um chicletinho com o papai e ele  com ela..  Mas uma vez eu ressalto … “Nem tudo é tão ruim” … da parte negra a gente tira ótimas lições… e aprendizados…

13592706_10204776133402767_3975837988719443776_n

E assim continuamos a caminhada firmes e fortes com a Graça e bênçãos de Deus… para contar mais um pouco sobre a nossa Tulipa. A sensibilidade de uma Tulipa!.

Até o próximo Post com mais e mais News…

Bjs

Michelle

O Respeito nos deixa FELIZ!!!

O RESPEITO NOS DEIXA FELIZ!!!

Num mundo onde as pessoas visam o egocentrismo, seu bem estar em detrimento ao próximo, o egoísmo prevalecendo e o coletivo desaparecendo resolvemos fazer a diferença para nossa filha e para outros muitos que precisam.

Como já comentei anteriormente, que a vinda da Valentina trouxeram a tona muitos valores adormecidos e novos valores nasceram também junto com as necessidades de um filho especial. O que é de direito adquirido virou motivo de exercício desse direito. O que é respeito virou razão de valorização. E o bem do coletivo virou lema em nossa vida.

Um filho já vem mudar muita a vida de todos que o cercam, mas o filho“ especial” ele muda o coração, ele muda a razão ele ainda tem o poder de transformação. A transformação pode ser positiva ou negativa basta olhar o ponto de vista.

Ou você escolhe ser FELIZ ou INFELIZ para o resto da vida.

Nós escolhemos ser mais FELIZES.

E a nossa escolha em ser felizes exige um alto grau de envolvimento de uma sociedade inteira, pois para sermos felizes precisamos ser RESPEITADOS.

E para sermos respeitados, muitas vezes deixamos outras pessoas fora de sua zona do conforto “egoístico”. (kkk) Esse termo egoístico me lembra muito minha irmã Thais que quando pequena sempre me chamava de egoística, pois essa era uma característica da Michelle. Mas não é mais característica da mãe da Valentina. A velha Michelle está se transformando depois do nascimento da tulipinha.

E como entramos numa vida diferente e FELIZ depois da vinda da Valentina, estamos nos descobrindo que podemos ser pessoas BOAS e Felizes a todos os momentos e ainda ajudando a quem mais e menos precisa.

A vinda de um filho especial abre a visão de mundo por outro ângulo. Temos uma visão do ponto de vista mais baixo por estar sentando ou deitados no chão, ou numa cadeira de rodas. Aprendemos a ver o mundo de outro ângulo.

Enquanto as pessoas correm atrás de muitas coisas e situações fúteis, nós buscamos o simples levantar espontâneo do braço ou o controlar a cabeça que insiste em cair descordenada. Quando acertamos a cabeça no meio podemos dizer que existem as diversas formas de olhar as situações. E quão belo e valoroso é esse olhar.

E quando dizemos que o Respeito nos faz FELIZ são nas pequenas atitudes que nos geram mais felicidade. É você sair na Rua para procurar uma vaga EXCLUSIVA para deficientes físicos e a você a encontrar desocupada e não sendo usada por pessoas que usam das piores desculpas esfarrapadas para se justificar dos seus atos “egoísticos” e desrespeitosos.

Ser FELIZ é quando você num supermercado e vem um desconhecido para te oferecer ajuda.

Ser FELIZ é você ganhar sorrisos sinceros ao invés de olhares superiores e piedosos.

Ser FELIZ é não tratarem seus filhos e a nós como coitados e ainda dizendo que dó dessa criança. Somos FELIZES assim, obrigada não precisamos de dó e sim de respeito. Não precisamos de termos pejorativos e sim de apoio. Não precisamos de olhares piedosos e sim de olhares encantados. Precisamos de olhares AMOROSOS, pois temos percepção aguçada para o preconceito.

Ser FELIZ é ver seu filho sendo tratado como as demais crianças e sendo incluída. É respeitar a limitação física dela sim, mas não esquecendo que ela é uma criança que só precisa de seus braços, pernas e sua disposição para colocar ela na brincadeira e ser divertido aos dois.

Ser Feliz é ver a BELEZA da diferença fazendo a diferença na vida das pessoas. Ver a mudança de valores, conceitos e olhares e despertar o BELO que exista na diferença.

Enfim ser FELIZ é valorizar o outro POR ele mesmo.

E vamos ser FELIZ, viver a diferença e fazer a diferença para alguém.

A mudança de conceitos e valores nos faz mudar a visão da vida e observar o mais belo da mudança: NÓS mesmos.

Uma boa e FELIZ semana a todos….!!!!!!

Beijos Mamãe e Tulipinha

IMG-20151219-WA0092 IMG-20151219-WA0099 IMG-20151219-WA0091 IMG-20151219-WA0101 IMG-20151219-WA0082 IMG-20151219-WA0090 bb 24 bb 26