Arquivo da tag: paciência

A diferença entre o remédio e o veneno é apenas a dose!

A Diferença entre o remédio e o veneno é a dose.

Desde ano passado devido a uma série de acontecimentos e necessidades maternas aflorando, decidi que a vida da Valentina não será mais uma loucura. Faremos o que for necessário e pontual mas não mais um turbilhão de coisas como foi até o final do ano passado.

Resolvi aderir ao movimento slow parenting.

Slow Parenting” ou movimento dos pais sem pressa – É o Movimento que prega a desaceleração da rotina das crianças. Esse movimento que busca desenvolver o ritmo de cada família e respeitando o indivíduo como tal.

Desde o nascimento da minha Tulipa, vivemos uma rotina punk de atividades e com a correria vem os stresses e todos os seus agregados, irritabilidade, tensão, medos e afins…

E em agosto do ano passado, esposo ficou desempregado e essa situação gerou um movimento novo em casa de reestruturação financeira. Muitas opções foram e estão sendo mudadas. Estamos revendo nossas prioridades e necessidades. E foi nesse espaço de tempo onde vivemos uma tensão doida por conta das necessidades da Valentina que despertou em mim  alguns desejos como esse diminuir o rtimo e me conectar mais a ela.

Foi um período HARD com muito aprendizado, aumento da cumplicidade e união familiar. Não foi nada fácil mas aprendemos que podemos viver com muito menos e somos felizes assim. Pudemos exercer o desapego e aumentar a valorização pela nossa família.

Não é fácil ter que baixar o nível de status mas também não é difícil.. É só diferente. E em questão de viver a diferença estamos descolados kkkkkk…

E foi nesse momento de desaceleração financeira que pudemos enxergar as necessidades reais ao invés das necessidades ansiosas da mamãe. E foi muitoooo bom enxergar novas possibilidades. Rever as possibilidades financeiras me abriu o leque para outras situações que eu sempre descartara antes, por conta de conceitos pré-concebidos por mim.

Mas voltando a dose do remédio e conectando a nossa situação acima, pude observar que muito da rotina da Valentina era TOO MUCH para nós duas.

E que toda essa loucura que vivíamos foi imposta pela condição da Paralisia cerebral e da minha ansiedade e medos que me rondavam do que ela realmente precisava.

Eu hesitava escutar os conselhos da minha terapeuta Maribel que sempre dizia que a VALENTINA precisava de brincar ao invés de ter uma rotina tão puxada. Sei que todas as fisio, fono e demais são lúdicas mas são TERAPIAS.

Nessas férias brincamos muitos eu e ela, no chão, na piscina, no parque e  nesse processo de dedicação do brincar fui me resolvendo e pontuando o que eu poderia fazer para me melhorar como MÃE.

E decidi ser MÃE  e não mais mãe-terapeuta. Vou ser simplesmente mãe e estou feliz com minha escolha. Não falo que seja definitiva, mas sim pontual para o que sinto hoje.

Vou dedicar duas manhãs inteiras ao brincar, ao rolar no chão, ao assistir desenho juntas, a ir na biblioteca infantil. E vamos ver como minha linda Tulipa se desenvolverá. Estou bem certa das minhas escolhas…. E feliz com isso.

E a dose de tantas atividades, me tolhiam o tempo de brincar com minha filha. Vamos fazer o básico e brincar muito e veremos resultados surpreendentes. Tuod que é em excesso se torna um veneno.

E quando falo dos excessos em criança não falo especificamente na minha e sim no coletivo. Vejo hoje um nível de exigência muito puxado para os pequeninos.  Incluí- se aulas de  natação, balé, robótica e outras atividades extra curriculares e curriculares em excesso onde nossas crianças deixaram de ser crianças para serem mini workhalics.

Queremos preencher o tempo delas e nos esquecemos de sentar no chão para brincar, vamos para cozinhar e socamos a Tv para distraí-los ao invés de levar os pequenos para terem novas experiências com a gente na cozinha. Deixamos de tomar banho juntos por que demanda mais tempo para brincar.

Mas isso não é fácil pois exige paciência e tempo. E ainda exige um sentimento maior de todos o de QUERER.

Então o que falo a todos vocês amigos ..O  tempo passa tão rápido e a nossa correria do trabalho nos impõe um rotina estressante e estafante mas que ainda há lugar para a gente ficar conectado no mundo virtual.

Bora fazer diferença no mundo real para quem está perto de nós..

Bjs e bom resto de semana com muita curtição com essas lindezas.

Michelle

15895305_10205890402258792_9182822706726524404_n 15826421_10205890406538899_7322425932573668483_n dscn5160 passeio-2 passeio-3 passeio-5 passeio-6 img-20161121-wa0005 img-20161126-wa0009 valentina-cozinheira

 

Anúncios

E a Fé na DOR????

E a Fé na DOR????

Muitas falam em exercício da Fé, quando se tem um problema. Mas as pessoas não imaginam a dimensão das coisas até passar por ela.

É um filho especial, uma doença, uma fatalidade ou uma situação totalmente adversa ao curso da vida.

Valentina e suas missões!!!! mostra como desenvolvi um pouco da minha relação com Deus.

Nossas famílias são cristãs. A minha família é evangélica e a família do meu esposo é católica apostólica romana.  Todos buscam o mesmo DEUS. TODOS buscam o bem para a Valentina na sua visão. Com atritos ou sem atritos o bem comum é o foco.

Apesar de existir diferentes visões da religião sei bem receber as coisas BOAS que nos desejam e deletar as coisas ruins ou que não fazem sentido a mim… Então podem continuar a rezar, orar, energizar….  (rsrsrs)

A minha raiz foi a igreja católica. Estudei em colégio católico, fui batizada e crismada na igreja católica. Porém alguns contratempos da vida levaram meus pais a mudar o rumo da fé. E foi nessas andanças da vida que ela nos apresentou a pluralidade religiosa. Fomos ao budismo, espiritismo, candomblé, Scheio-no-ie entre as várias denominações evangélicas que existem.

Aprendi a diversidade religiosa e isso não me incomoda. Pelo contrário me fez absorver tudo o que as religiões passam de positivo e me dá uma visão ampla das coisas.

Essa bagagem religiosa me abriu a cabeça e me fez crer que não há uma religião absoluta, mas sim num DEUS ABSOLUTO.

Acredito num DEUS tão absoluto que é regido por diversas religiões mas com nomes diferentes.

ACREDITO EM MILAGRES. Milagres diários, anjos em forma de amigos, pessoas enviadas  e usadas por DEUS…. A única forma que não concordo são dos MILAGRES á jato  e como ele acontece em algumas religiões pregam… Mas isso é um problema meu e da minha fé….

No momento de DOR não existe diferença de religião. TUDO é Válido, pois tem uma função em comum. Sabe que hoje eu consigo ver que a a DOR traz a sua beleza… pois na Dor vem as benesses como  UNIÃO espiritua l e familiar. São nos momentos de dor  que podemos sentir a presença e o mover de Deus.

No começo a gente não enxerga  nada além do nosso sofrimento… Mas depois que a vibe ruim passa você enxerga o trabalhar na vida.

Enquanto passamos situações boas, nos esquecemos de Deus, ou melhor dizendo deixamos ele de Lado, pois quando a situação tá tranquilo e favorável .. Esquecemos de agradecer.

Mas quando me vi numa situação de estress extremo e com muito medo de perder a nossa filha linda e cabeluda, pedi ao PAI do CÉU, PELA GRAÇA DA VIDA. Não queria mais nada somente a VIDA da nossa tulipa. Poderia parecer egoísta mas eu a queria de qualquer forma. E Deus concedeu o desejo do meu coração. Como um sopro de Vida ele trouxe a Valentina de volta.

Foi nesse momento que vi o primeiro milagre na vida dela.  Aliás minto o primeiro Milagre foi a gestação dela.

Deus cuidou e cuida dela  desde sempre. E  mesmo na limitação da Paralisia Cerebral, vemos o agir de DEUS constante e diário em nós três.

Sabe aquele filme o “ O Todo Poderoso” com Jim Carrey????? Onde o  Jim Carey começa a enxergar  Deus nos outdoors, nas placas dos carros??? Tenho essa mesma relação de assistência com ele… Ele usa todos os argumentos e situações para falar comigo .. E além de engraçado que é….  ele puxa a minha orelha, é através de uma música no rádio que responde o que eu tava pensando…. Ou é em um bate papo com alguém que fala algo que liga ao que estou passando , é mensagem que brota no Facebook na minha linha do tempo….

Enfim vejo DEUS conversar comigo e me PITACAR o tempo todo.  Os “PITACOS” de DEUS  mostra isso de forma pontual.

E quando olhamos para a Valentina vemos as grandes coisas que tem acontecido a ela, não podemos em hipótese alguma deixar DEUS de lado. Ele tem nos fortalecido, guiado, conduzido e providenciando PESSOAS para nos ajudar na caminhada.

Não sou a pessoa mais espiritualizada do mundo, FIEL de igreja, não rezo diariamente, mas sei  AGRADECER imensamente o que ele tem feito por nós. E o meu jeito de agradecer é ajudar os demais é assim FAZENDO O BEM sem olhar a quem. E com isso mobilizamos muitos em prol de muitos.

E o trabalhar de DEUS em minha vida veio pela vida da minha TULIPA. Ela fez desabrochar  em meu coração o que estava adormecido. Ela me fez uma nova e MELHOR pessoa.

E agradeço a DEUS por tudo que estamos passando por assim me fez diferente e encarar a vida com outros olhos.

Um super beijo da pessoa em transformação

Michelle

E Hoje a inveja BRANCA bateu nos meus olhos..

IMG-20140615-WA0001

E Hoje a inveja BRANCA bateu nos meus olhos..

Não sou uma pessoa nada invejosa, não desejo as coisas alheias, me contento e agradeço muito a Deus pelas coisas que eu tenho.

Mas hoje senti uma vontade imensa de ter uma vida “normal”.

A Tal inveja BRANCA, me fez ter vontade de ver  minha filha comendo com suas mãozinhas, correr pra longe de mim com aquele sorriso maroto… Querer  vê-la  escolhendo um brinquedo e esperneando em frente a Ri Happy e me fazer passar vergonha…. (kkkk)… Queria poder chegar na escola e escutar que ela ficou no cantinho de obediência pois fez marotices..

Enfim a Inveja Branca da normalidade me rondou.

Algumas situações tem me levado a reflexão e instrospecção sobre a diferença.

Começamos a luta pela inclusão, aceitação e tentando dar a sensação de uma vida mais comum a Valentina.  Sei que é só o começo …. pois ela tem 3 anos e meio.

Mas esse começo é tortuoso… difícil… e sofrido.

Muitas serão as situações onde as pessoas não conseguirão simplesmente ACEITAR.

Aceitação é um processo, um entendimento e  uma mudança de paradigmas.

Para aceitar é preciso entender e conhecer.

E entender e conhecer demanda tempo e dedicação. E depois disso tudo o amor que brota das situações é somente consequência   .

Temos passado por algumas provas emocionais de aceitação da Valentina. Em vários âmbitos:  escolar, profissional, pessoal e familiar.

As provações na família doem muito e vão sendo superadas. O tempo é o remédio.

Na esfera pessoal estamos em profunda mudança de paradigmas e aprofundamento do amor.

Na escola o sentimento é amplamente exacerbado, pois não está no nosso campo de visão, em zona de controle e conforto. E é aqui que meu sentimento de mãe LEOA impera.

A escola da Valentina é Fantástica, cheias de pessoas do BEM.

Lá temos muitos amigos, algumas amizades novas .. outras bem antigas e novas possibilidades de aprendizado surgindo. Sinto-me em casa, pois a NOSSA MENINA como é tratada pela Mãe do coração dela na escola, me supriu e me supri emocionalmente com relação a inclusão dela.

Dona Samara se tornou a mãe pedagógica minha e da Valentina. Morro de rir com ela, pois somos muito parecidas, e gosto da SUA autenticidade, sinceridades e dos puxões de orelha que ela me dá.  Samara é MEGA defensora da bandeira da Inclusão, para ela não existe a distinção entre os alunos e existe sim a preocupação em entender a deficiência e fazer o que for MELHOR e salutar a todos que necessitam uma atenção extra. …..

E Samara… que bom seria se houvesse mais Samaras como você…  Kkkkk

Infelizmente algumas milhares de pessoas não estão abertas a lidar com a diferença.

Mas não as culpo, apenas sinto pena de não aproveitarem o que o “diferente” possa  acrescentar e fazê-las crescer como seres humanos.

Várias atitudes inconscientes  demostram a sua falta de amor e consequentemente a exclusão.

Quando o sentimento de Dó impera a inércia aparece. A Inércia é o prelúdio da exclusão.

Quando há resistência as mudanças e as reais necessidades de uma criança especial pode-se ler que existe a falta de aceitação.

O mundo e a maioria dos seres humanos querem lidar somente com a normalidade, pois é mais fácil, não exige você sair da sua zona de conforto e buscar conhecimento para tratar a condição.

Para cuidar de crianças com necessidades especiais, você PRECISA sair de você mesmo  para entender  e buscar conhecimento  e poder oferecer qualidade de vida  e ensino para aquele serzinho sedendo pela conhecimento e novas experiências.

É desconstruir a sua construção do conhecimento e construir um novo e amplo conceito do SABER. É criar Castelos ADAPTADOS e modelar um novo SER.

Mas para chegar a essa nova estrutura.. Vai tempo, estudo, observação, paciência e muita disponibilidade.

Tenho criado alguns “inimigos”, pelo simples fato de exigir os direitos da Valentina. É no trânsito, na fila do Banco, na entrada de cinema, em bares e restaurantes, escola e etc. Sempre em busca do que ela lhe tem assegurado por Lei.  Porém em lugares onde a demanda de um envolvimento emocional .. aí se complica.. kkkk

Já passamos por escolas e professores que não conseguiram lidar com a situação de ter uma criança especial . Talvez por  PRÉ conceitos ou por falta de preparação ou DÓ ou até mesmo por incapacidade pedagógica e emocional.

E essas idas e vindas de pessoas temos  tentado  mostrado para nossa Tulipa que muitos ainda virão e irão embora e isso é o natural da vida. Esperamos que alguma coisa de positivo elas levem de VOCÊ, Tulipa.

A Limitação da minha Valentina é FÍSICA não cognitiva.  E ela demanda de AJUDA e disponibilidade para auxilia-la. Diversas crianças tem “N” formas de limitação seja desde uma  carência afetivo-emocional à distúrbios sérios. E O cuidado com esses são para poucos, pois exige além de envolvimento de sentimentos à  disposição. Além de uma carga extra de paciência e energia.

E a inveja branca volta a rondar… e penso e desejaria que tudo fosse diferente…

Mas EU como MÃE leoa, luto pela inclusão, pela busca insana de melhorar a condição da minha filha.  Faço MEU possível para que possa dar recursos e instrução aos que cuidam de nossa TULIPA. Agora entendo o texto Como DEUS escolhe as Mães!!

Aos que o fazem com HONRA a nossa GRATIDÃO E o nosso “ARRIVEDERCI” ao que simplesmente não conseguem lidar com a diferença.

E vá com DEUS ..e que Ele te abençoe e te dê o dobro do que desejaste e fizeste a nós…

Um Beijo no coração

Mi e Tulipinha

Para entender o por quê a chamo de Tulipinha leia o post Viagem a Itália !

E para as mamãe que estão a procura de uma escola leia o post E UMA NOVA SAGA COMEÇA: A TAL ESCOLA !!!!!

Como DEUS escolhe as Mães!!

Leio  e releio esse texto de Autor desconhecido (e adaptado) e choro todas as vezes que o leio.   E me pego pensando “PRA” QUE EU Senhor?? E imediatamente tenho uma resposta no meu íntimo POR QUE VALENTINA  ME ESCOLHEU junto a DEUS.  SIMPLES ASSIM!!

COMO DEUS ESCOLHE AS MÃES !!!! 

” Deus pairou sobre a Terra, selecionando o seu instrumento de propagação com um grande carinho e compassividade, enquanto Ele observava, Ele instruía seus anjos a tomarem nota em um grande livro:

– Para a mãe Juliana, um menino e o anjo da guarda Mateus.
– Para a mãe Ana Paula, uma menina e como anjo da guarda Cecília.
– Para a mãe Bruna, gêmeos, e como anjo da guarda, mande Gabriel.
Pronunciando um nome, MICHELLE, sorri e diz:
– Dê a ela uma criança com necessidades especiais a VALENTINA
O anjo cheio de curiosidade pergunta:  Por que a ela Senhor? Ela é tão alegre…

e DEUS diz:  Exatamente por isso. Como eu poderia dar uma criança deficiente para uma mãe que não soubesse o valor de um sorriso? Seria cruel.

O anjo impaciente e incomodado pergunta: Mas será que ela terá paciência?
– Eu não quero que ela tenha paciência porque, com certeza, afogará no mar da autopiedade e desespero. Logo que o choque e o ressentimento passar, ela saberá como se conduzir.
O anjo disse num tom admirado: Senhor, eu a estava observando hoje, ela tem aquele forte sentimento de independência. Ela terá que ensinar a criança a viver no seu mundo e não vai ser fácil.
E além do mais, Senhor, eu acho que ela nem acredita na sua existência.
– Deus sorri e exclama:  Não tem importância. Eu posso dar um jeito nisso. Ela é perfeita. Ela possui o egoísmo no ponto certo.
O anjo engasgou.  Egoísmo??? E isso é, por acaso, uma virtude?
Deus acenou um sim e acrescentou:
– Se ela não conseguir se separar da criança de vez em quando, ela não sobreviverá. Essa é uma das mulheres que eu abençoarei com uma criança DIFERENTE.
Ela ainda não faz ideia, mas ela será também muito invejada.
Sabe, ela nunca irá admitir uma palavra não dita, ela nunca irá considerar um passo adiante uma coisa comum.
Quando sua criança disser “mamãe” pela primeira vez, ela pressentirá que está presenciando um milagre. Quando ela descrever uma árvore ou um pôr do sol para um filho cego, ela verá como poucos já conseguiram ver a minha obra. Eu a permitirei ver claramente coisas como a ignorância, crueldade, rejeição, exclusão e preconceito e a ajudarei a superar tudo.
Ela nunca estará sozinha. Eu estarei ao seu lado cada minuto de sua vida, porque ela estará trabalhando junto comigo.
E quem será o anjo da guarda que o SENHOR está pensando em mandar a ela? 
E mais uma vez Deus sorriu e com seu grande amor disse ao anjo:  Dê a ela um espelho, já será o suficiente! ” 
Autor Desconhecido
Reflito nesse texto por inúmeras vezes tentando me encaixar no perfil descrito nesse texto.  Ás vezes me sinto o anjo fazendo essas perguntas a Deus… e em momentos me vejo também nos atributos de Deus.
Penso .. repenso e concluo: ok…
Sorrir não é difícil para mim pois sempre vivi assim independente da vinda da Valentina, quem me conhece sabe, o sorriso é genuíno. A risada então nem se fale (kkkk), é alta e espontânea.
O quesito paciência não é meu forte mesmo até por que sou mega ansiosa, MAS tenho visto o trabalhar de DEUS, pois o meu tempo é bem antagônico ao tempo dos “DIFERENTES”. E isso tem a sua beleza pois eles não fazem as coisas no piloto automático como fazemos. Para virar a página de um livro, a Valentina precisa de muita concentração e um esforço gigantesco para simplesmente levantar um pouco o braço e tentar o movimento. Olha que lindo isso!!!!!!!!!!!! Olha a perfeição do movimento, os músculos trabalhando, o cérebro comandando e a VONTADE prevalecendo. O que para nós é um simples passar a mão do lado para outro para os DIFERENTES é algo MÁGICO e Vibrante.  E eu nem dava valor para isso.
Independência, esse item tem sua dualidade, sou independentemente dependente … kkkk.  Pois ser independente nos torna dependente de algo. Quando digo independência física sim.. mas nos tornamos dependentes emocionais. Graças a Deus sempre fui muito ativa, busco as minhas realizações,  faço as coisas acontecer e isso tenho passado a Valentina, não a fecho na redoma de vidro (ás vezes), mas tento fazer com que ela própria tente realizar mesmo na maior dificuldade.
Espero o tempo acontecer caso ela não consiga pego a sua mão e faço o movimento ensinando-a que é assim.
Por várias vezes no meu impulso me via fazendo o que ela tem que realizar e a frustava. Hoje a minha maior briga com meus familiares é que eles fazem por ela, e ela fica na passividade. Deixe ela FAZER ou pelo menos TENTAR. O problema maior que não conseguimos ESPERAR pela resposta que as vezes é MENOS rápida que a nossa e isso nos põe no piloto automático e fazemos por eles.
E quanto ao EGOÍSMO .. ahhhh esse atributo me é PONTUAL, SOU MUITO e tenho sido trabalhada nisso, porém é algo mais forte que eu, depois de uma cena ridícula de egoismo fico extremamente mal pois estou na busca de ser melhor quanto a isso..
E o acreditar em DEUS, eu acredito e sempre acreditei mesmo BRAVA e irritada.  EU sei que ele providenciou TUDO e TODOS que passaram e passam em nossa vida . (tema de post futuro), só retificando o ANJO eu ACREDITO EM DEUS SIM.
Mas continuando o texto, vi no dia de ontem como sou especial para a Valentina. Passamos o ano com nossa família e amigos e tive que abrir a loja um pouco no dia de ontem pois o aeroporto não perdoa (rsrs). Sai bem cedinho e a deixei dormindo em seu berço, acordou com o papai e desceu para o churrasco toda linda em seu novo brinquedo, uma BIKE ADAPTADA. Daqui uns dias falarei sobre os “brinquedos e acessórios”.
Cheguei após o almoço e a vi de longe amuada, num carrinho que não era dela tentando se ajustar, mas era pequeno e a esmagava … rsrs. Quando ela escutou a minha voz de longe, vi o BRILHO nos olhos, o sorriso penetrante e a alegria tomar conta, ela batia os pezinhos e tentava pular do carrinho, tipo: iupi a diversão chegou (kkk ) e já disse que sou uma palhaça para ela na literalidade.
Vi que DEUS me deu ELA para que eu possa ser mais alegre com as pequenas coisas da VIDA o sorriso que é gratuito.
E do texto o que me diz sobre isso tudo??
Nada ainda kkkk estou em processo de CONSTRUÇÃO (MODE ON)
E o meu desejo é que eu seja menos egoísta, mais paciente, menos estressada, mais sintonizada e acreditar a cada dia mais no DEUS que nos capacita e forma mesmo nas DIFICULDADES.
E que venha 2016 com muitas descobertas …..
Beijinhos da mamãe e da Tulipinha
 FB: Michelle Berbert Santos