Arquivo da tag: sensitiva

A Emoção a Flor da Pele!!!!

 

Quando me tornei Mãe, pude entender algumas frases que minha mãe sempre falava. A intuição de uma mãe é extremamente fantástica. Essa intuição só se aflora quando a maternidade bate a porta. As Mães devem ter um ramal direto com o cara lá em cima.

Sentimos, pressentimos e acertamos. Bingo!!!!

Tenho aprendido escutar o meu coração e meus instintos. E aprendendo a LER a minha filha diariamente. Uma árdua batalha, pois Valentina não fala AINDA, mas se comunica muito bem, com expressões, sorrisos, bicos e sentimentalismo a flor da pele.

Essa minha tulipa tem me ensinado que as expressões físicas são muito mais importantes que a vocalizações. O corpo fala com sinceridade. E que sinceridade!!!

Não conseguimos esconder sentimentos na expressão corporal. A boca fala, mas o corpo expressa.

Temos notado que Valentina tem se aperfeiçoado na arte da expressão. A sua limitação verbal tem se compensado na expressão corporal.

A Valentina além de mega emotiva, ela é extremamente sensível, mas não frágil.

Minha Tulipa é extremamente apaixonada pela PEPPA PIG, desde os 8 meses de idade. (aff conheço todas as falas de todos os episódios kkkk). Porém em alguns episódios da PEPPA PIG ao qual existe um conflito “triste”, como uma perda, uma rejeição ou uma briga, ela sofre e sente o desenho. Ela sente e vivencia o desenho como se fosse ela. E essa porquinha tem nos ajudado muito nas relações com a Valentina. Como é um desenho super curto de 5 minutos, sempre com um conflito a ser resolvido e a solução sempre é tomada pela família junta, pegamos tudo de positivo do desenho e trazemos para a vivência diária, fazendo as co-relações no dia a dia.

Assistindo a mais um novo velho capítulo do desenho ao qual a tartaruguinha TIDLES se perde da Turminha, Valentina chora de forma inconsolável. Simplesmente por que a tartaruga se perdeu.  E para acalmar é com muita explicação e muito colo amoroso. (kkkk)

Comprei o Livro “Ei, Cadê Você”, que cota a história de um Pai que perdia a filha e estava à procura dela na fazenda (só que a filha estava o tempo todo nas costas dele de canguru), a Valentina desde a primeira vez que escutou essa história, chorou por 1 hora de forma incontrolável. Tentei ler outras vezes esse livro, mas já na primeira página o choro vem à tona.

Além de algumas músicas que não posso cantar. As músicas cujas melodias são tristes ou a letra transmite algum sentimento mais introspectivo ela também dispara a chorar.

Músicas, livros, filmes e desenhos que tenham histórias tristes, afloraram sua sensibilidade.

A emoção é tão pontual nessa menina, que ela chega a ficar de “mal”. Quando acontece alguma discussão acalorada ou um tom mais ríspido, ou simplesmente uma bronca num amigo da sala. Ela fica extremamente triste e enquanto não houver o pedido oficial de desculpas, ela vira até o rosto para quem estiver envolvido.

Esses dias na escola a tia Jéssica, sua cuidadora, teve que se ausentar da sala e ficou um tempo fora, a outra tia, a Fer, disse que ela ficava só olhando para a porta. E quando Tia Jéssica voltou a Valentina não queria olhar e nem conversa com ela. Foi embora brava sem querer ir pro colo dela. (KKKKK) Se sentiu abandonada.

Minha sogra, Dona Lia, cuida muito bem do meu sogro que tem uma demência senil. Age como uma criança. Os médicos explicam que é um estilo de Alzheimer mais leve. Enfim muitas ações que ele faz o remete a ser criança, então é muito comum minha sogra brigue com ele. Ahhh mas se a tulipa está na casa da Vó Lia, enquanto minha sogra não pede desculpas a ele, Valentina a rejeita. (kkkk) … Chega a ser cômico. A menininha ensinando a vovó que não pode brigar…

Desde muito bebê me deram a dica da previsibilidade. Em tudo que eu iria fazer com a Valentina, eu detalhava. Desde uma simples troca de fralda a uma ida ao Laboratório tirar sangue.

A nossa relação sempre foi e é totalmente aberta e sincera. Não conto mentiras nem a iludo com as circunstancias. Isso a faz se sentir segurança e confiante. Quando vamos tirar sangue, explico de forma normal que ela vai receber uma agulha no braço que vai doer um pouco e depois passa. E é assim que ela responde, dá um choro doido na picada e em seguida já para e começa a mandar beijos para as enfermeiras.

É muito linda e real. Eu não minto nem oculto e procuro cumprir o planejado.

A previsibilidade, rotina e a explicação têm feito muita diferença na vida dela.

O susto nos desnorteia e a previsibilidade nos acalma.

Mas voltando a sua natureza sensível por músicas, sentimentos, sons, vento e principalmente a VIBE das pessoas. Ela se demonstra lindamente incrível. Seu cérebro está compensando a sua incapacidade motora em sensibilidade aguçada.

Em tudo que ela faz ela coloca o coração. Ela lê as pessoas, ela sente e vive a sensação.

Pode ser que ela não ande, não fale, não consiga se desenvolver motoramente, pois a lesão dela foi bem grave. Mas ela tem o cognitivo amplamente desenvolvido. Quando ela tiver o plano de consciência efetivo, essa menina terá ganhos motores sensacionais, pois a consciência vai trazer ela o querer e o querer muda tudo.

Acredito que a frase, “Querer é poder”, vai ser tornar um lema em sua vida.

E nós filha linda, te abençoamos e te dizemos que estaremos presentes com você em tudo. Nas vitórias e também nas adversidades. E estaremos te apoiando em tudo.

E para as mamães de plantão, observem os filhotes de forma intrínseca, pois eles são mais essência do que aparentam.

Um super beijo

Mamãe Michelle

 

A sensibilidade de uma Tulipa!

A sensibilidade de uma Tulipa!

A Valentina é uma criança extremamente dócil, amável, carinhosa, carismática, profunda, muito aguçada e extremamente sensível.

É assim ela determina com quem ela faz amizade ou sente quando ela é não é bem aceita.

Digo isso da sensibilidade, pois ela nos mostrou que a percepção dela é muito mais aguçada do que a nossa. Valentina sente a aceitação vinda do coração. A de boca, nem ouse chegar perto que ela te fará passar vergonha.. (kkkk).

Passamos algumas situações deveras sem graça e as vezes muito engraçadas com ela.

Aos 3 meses de idade, ela já mostrou a sua seletividade. Uma fisio que foi atendê-la num período que a Tia Marta se ausentou por conta de uma viagem, ela se recusava totalmente com um choro desenfreado a fazer a terapia. Saia de lá parecia outra criança, nem parecia aquela que urrava dentro da sala sem ao menos a terapeuta a tocar. Hoje dou risadas mas chorei muito de nervoso vendo tal cena. Pagamos 8 sessões e ela não fez nenhuma (kkkk).

Passamos por algumas terapeutas que ela ia mesmo por que eu insistia, mas a química não rolava. Até o dia que percebi tal sensibilidade.

Dizem que os ESPECIAIS desenvolvem áreas do cérebro de auto defesa e cognições avançadas em determinadas áreas. Valentina tem isso desenvolvido.

Pode aparecer o Papa na frente dela, se ela não sentir AMOR puro, ela se recusa a ir no colo, dar sorrisos e brincar. Hoje em dia, ela me belisca quando sente determinados sentimentos ruins. Hoje num nível mais avançado de relacionamento com ela, aprendi a ler o seu corpo.

Pra se ter idéia da sensibilidade dela, veja a situação. Tivemos em nosso prédio, um vizinho que atentou contra a sua própria vida. E Valentina presenciou tudo. Os momentos de desespero, a tristeza e a ambiente ruim. Enfim nem gosto de lembrar, pois me faz mal ainda. Isso ela tinha 11 meses de idade. Depois disso passamos meses não podendo atravessar a nossa portaria por conta de um desespero que ela sentia (gritava) no momento que passávamos lá, parecia que via algo ou alguma coisa. E acredito piamente que via mesmo. A situação só melhorou quando um Padre e um Pastor foram em nosso prédio fazer uma oração pela alma desse senhor.

Ela tem uma sensibilidade aguçada igual minha sogra.

D. Lia, sogra, é uma pesssoa sensitiva a ponto de ter contato com o mundo espiritual, com batalhas espirituais, visões e etc. Uma pessoa muito iluminada, religiosa e muito sensata.

E por várias vezes no mesmo local onde a D. Lia via um vulto, a gente não conseguia passar com a Valentina lá pois ela tinha ataque de choro desesperado e entrava num padrão (RTCA) que é um reflexo primitivo nas crianças, que elas perdem ao longo do crescimento. Até hoje Valentina tem esse reflexo nos momentos de susto ou quando sente algo ruim.

Num outro local onde meu avô faleceu, hoje é um prédio com o nome dele, era a Chácara da Família Berbert, no exato local onde ele caiu, Valentina fica arrepiada e chorava muito.

Hoje não chora mais por que expliquei toda a situação para ela e fizemos uma oração juntas pelo meu avô. E hoje ela ainda se arrepia mas não com pavor e sim com muita serenidade.

Muitas pessoas acham besteira, bobagem mas tenho um SER ILUMINADO ao meu lado, que preciso me evoluir muito para que eu chegue aos pés dela. (rssr).

E Valentina na sua percepção aguçada tem nos mostrado e reagido a algumas situações pitorescas de aceitação.

Muitos dizem que aceitam, elogiam e a tratam com normalidade e ela sente isso, outras por vezes sorriem mas não aceitam e ela também sente e muito.

O preconceito velado é sentido por ela e por nós também. Sentimos isso em todos os sentidos. Nos olhares, nos gestos e nas atitudes.

Infelizmente temos que lidar com o desamor das pessoas. E Valentina por ser tão sensível sente na pele esse desamor.

Mas quem sabe um dia chegaremos ao nível de igualdade entre as pessoas normais e diferentes.

Um dia filha espero que a Humanidade seja mais Humana.

Um bom dia a todos….

Mamãe e sua Tulipa