Arquivo da tag: ser criança

Não prometa algo a uma criança que você não possa cumprir.

Não prometa algo a uma criança que você não possa cumprir.

Crianças são seres esponjas, assimilam tudo.

Estão atentas a qualquer promessa ou deslize nosso.

O famoso ditado ” Promessa é dívida” deve ter  vindo de uma situação com uma criança. (kkkk)

Quando dizemos a uma criança nossos planos eles criam várias fantasias se tornam ansiosos e impacientes. Todas as expectativas giram em torno da tal promessa.

Um simples levar para tomar sorvete deve ser levado a sério por quem promete.

No caso dos filhos especiais a mesma dinâmica acontece….

Eles desejam.. Criam expectativas.. Não dormem à noite.. Acordam chorando e rangem dentes na madrugada. Ficam ansiosos da mesma forma. A única forma que os diferenciam é a forma como eles expressam seus dissabores.

Falo isso porque a Valentina entende e espera por todas as promessas.

A situação começa a azedar quando ela vê suas expectativas sendo ignoradas.

Pela  sua sagacidade e percepção das coisas, ela sente quando a ludibriamos e “a fazemos” de boba. E isso é terrível emocionalmente.

Alguns dias atrás o Tio Marcelo ligou a chamando para ir ao boliche, mas não falei nada pra ela pois eu não poderia levá-la pois estava trabalhando e por que eu também VI vários obstáculos físicos no brincar de boliche. (Eu inconsciente  estava excluindo as possibilidade para minha filha).

Mas chegando na vovó ela comentou e disse que Valentina também iria. Então o papai foi buscá-la na escola e não falou comentou nada. Ela foi resmungando, chorosa e irritadiça até em casa. Quando ele se tocou sobre o que poderia ser a tal chatice, ele fez a pergunta se ela gostaria de ir.  Ela instantaneamente mudou o semblante, parou a chatice e corporalmente deu um pulo, afirmando sua vontade.

Então ela estava o tempo todo comunicando e expressando que ele queria ir e ninguém falava sobre o assunto. Ela estava demostrando a sua insatisfação e nós não estávamos compreendendo. (E foi especialmente delicioso,  demos a sensação de jogar boliche a ela, lançamos várias bolas e ela amou e  ficou mega felizes e nós também). Obrigada Titio Marcelo pelo programa foi sensacional.

E no Domingo passado eu fiz um comentário no carro sobre a ida ao circo e  acabei me enrolando e não a levei.  A noite ela estava chatíssima  e eu inclusive perdi o meu controle e me irritei com ela. Porém na madrugada ela acordou gritando e rangendo os dentes. Na hora eu conectei as situações.

Eu havia ignorado as suas expectativas quanto ao circo e ainda me irritei, Não fomos nada sensíveis em relação aos sentimentos dela.

Se ela fosse uma criança que falasse ela teria ficado uma sarna atrás de mim falando do circo, que horas iríamos, puxando a minha roupa, tagarelando o tempo todo e etc. MAS… NÃO É .. então precisamos ter mais conexão e atenção aos comentários e o que dizemos perto.

Então devemos nos policiar em  todos os momentos, sobre o que falamos, como falamos e o que prometemos.

Criança é criança independente da situação. Eles agem, fazem e esperam iguais.

NÓS como pais e educadores devemos estar mais sensíveis e antenados as suas respostas que são mais sutis e singulares. No nosso caso Valentina expressa corporalmente muito bem. Ela é uma criança bem feliz quando algo a desagrada ela começa a ficar chorosa e irritadiça mostrando a sua frustração.

Não é fácil estar o tempo todo ligada, antenada e perceptiva a qualquer forma de expressão, porém é lindo poder ter essa conexão a qual desenvolvemos dia a dia.

Toda mudança comportamental é uma resposta. A tal comunicação alternativa começa assim.

É um diálogo ao qual NÓS pais devemos evoluir para entendermos o que eles estão “falando” a nós.

Então com crianças especiais ou qualquer outra criança e adultos também devemos honrar os planos quando prometemos.

O que vemos e escutamos muito são os comentários da boca pra fora que criam esperança nos pequenos. Muitas vezes não entendemos as reações dos nossos filhos demostrando a sua frustração.

As pessoas tem a mania de dizer alguma mentira branca, no intuito de acalmar uma criança, fazem promessas patacoadas que gerarão possibilidades às crianças.

Só que essas falácias da boca pra fora além de decepcionar as crianças também machucam os pais. Além de vermos que existe um frustração em seu filho, temos que apagar o fogo que outra pessoa criou por uma promessa que não será cumprida.

Então espero que possamos estar mais conectados a eles e fazermos promessas coerentes e com intuito de cumprimento para que todos fiquem felizes.

Uma boa semana com promessas devidas e cumpridas..

Bjkas

Michelle

“O significado das coisas não está nas coisas em si, mas sim em nossa atitude com relação a elas.”                                                                                                          ANTOINE DE SAINT-EXUPÉRY

 

Anúncios

A diferença entre o remédio e o veneno é apenas a dose!

A Diferença entre o remédio e o veneno é a dose.

Desde ano passado devido a uma série de acontecimentos e necessidades maternas aflorando, decidi que a vida da Valentina não será mais uma loucura. Faremos o que for necessário e pontual mas não mais um turbilhão de coisas como foi até o final do ano passado.

Resolvi aderir ao movimento slow parenting.

Slow Parenting” ou movimento dos pais sem pressa – É o Movimento que prega a desaceleração da rotina das crianças. Esse movimento que busca desenvolver o ritmo de cada família e respeitando o indivíduo como tal.

Desde o nascimento da minha Tulipa, vivemos uma rotina punk de atividades e com a correria vem os stresses e todos os seus agregados, irritabilidade, tensão, medos e afins…

E em agosto do ano passado, esposo ficou desempregado e essa situação gerou um movimento novo em casa de reestruturação financeira. Muitas opções foram e estão sendo mudadas. Estamos revendo nossas prioridades e necessidades. E foi nesse espaço de tempo onde vivemos uma tensão doida por conta das necessidades da Valentina que despertou em mim  alguns desejos como esse diminuir o rtimo e me conectar mais a ela.

Foi um período HARD com muito aprendizado, aumento da cumplicidade e união familiar. Não foi nada fácil mas aprendemos que podemos viver com muito menos e somos felizes assim. Pudemos exercer o desapego e aumentar a valorização pela nossa família.

Não é fácil ter que baixar o nível de status mas também não é difícil.. É só diferente. E em questão de viver a diferença estamos descolados kkkkkk…

E foi nesse momento de desaceleração financeira que pudemos enxergar as necessidades reais ao invés das necessidades ansiosas da mamãe. E foi muitoooo bom enxergar novas possibilidades. Rever as possibilidades financeiras me abriu o leque para outras situações que eu sempre descartara antes, por conta de conceitos pré-concebidos por mim.

Mas voltando a dose do remédio e conectando a nossa situação acima, pude observar que muito da rotina da Valentina era TOO MUCH para nós duas.

E que toda essa loucura que vivíamos foi imposta pela condição da Paralisia cerebral e da minha ansiedade e medos que me rondavam do que ela realmente precisava.

Eu hesitava escutar os conselhos da minha terapeuta Maribel que sempre dizia que a VALENTINA precisava de brincar ao invés de ter uma rotina tão puxada. Sei que todas as fisio, fono e demais são lúdicas mas são TERAPIAS.

Nessas férias brincamos muitos eu e ela, no chão, na piscina, no parque e  nesse processo de dedicação do brincar fui me resolvendo e pontuando o que eu poderia fazer para me melhorar como MÃE.

E decidi ser MÃE  e não mais mãe-terapeuta. Vou ser simplesmente mãe e estou feliz com minha escolha. Não falo que seja definitiva, mas sim pontual para o que sinto hoje.

Vou dedicar duas manhãs inteiras ao brincar, ao rolar no chão, ao assistir desenho juntas, a ir na biblioteca infantil. E vamos ver como minha linda Tulipa se desenvolverá. Estou bem certa das minhas escolhas…. E feliz com isso.

E a dose de tantas atividades, me tolhiam o tempo de brincar com minha filha. Vamos fazer o básico e brincar muito e veremos resultados surpreendentes. Tuod que é em excesso se torna um veneno.

E quando falo dos excessos em criança não falo especificamente na minha e sim no coletivo. Vejo hoje um nível de exigência muito puxado para os pequeninos.  Incluí- se aulas de  natação, balé, robótica e outras atividades extra curriculares e curriculares em excesso onde nossas crianças deixaram de ser crianças para serem mini workhalics.

Queremos preencher o tempo delas e nos esquecemos de sentar no chão para brincar, vamos para cozinhar e socamos a Tv para distraí-los ao invés de levar os pequenos para terem novas experiências com a gente na cozinha. Deixamos de tomar banho juntos por que demanda mais tempo para brincar.

Mas isso não é fácil pois exige paciência e tempo. E ainda exige um sentimento maior de todos o de QUERER.

Então o que falo a todos vocês amigos ..O  tempo passa tão rápido e a nossa correria do trabalho nos impõe um rotina estressante e estafante mas que ainda há lugar para a gente ficar conectado no mundo virtual.

Bora fazer diferença no mundo real para quem está perto de nós..

Bjs e bom resto de semana com muita curtição com essas lindezas.

Michelle

15895305_10205890402258792_9182822706726524404_n 15826421_10205890406538899_7322425932573668483_n dscn5160 passeio-2 passeio-3 passeio-5 passeio-6 img-20161121-wa0005 img-20161126-wa0009 valentina-cozinheira

 

Quando os sonhos se tornam realidade…

Quando os sonhos se tornam realidade…

Temos vivido experiências muito positivas em relação a paralisia cerebral da Valentina.  Posso dizer com categoria que hoje, quase 04 anos de vida dela, estamos mais fortalecidos e encarando a situação totalmente diferente de antes.

O antes tudo era monstruoso, agora estamos na FASE Sherk, o ogro legal.. (kkkk). Existem  ainda alguns monstros que volte e meia nos assusta MAS não nos amedronta mais.

Bom.. quanto aos sonhos se tornando realidade, foi um tema de um post bem melancólico que fiz sobre  a realidade x desejo, naquele momento era o que eu sentia.. e fazia sentido para mim…E Hoje a inveja BRANCA bateu nos meus olhos..

E um dos comentários foi: “ Ahhh como eu gostaria que minha filha fizesse birra em frente a Ri Happy” . E nesse último sábado dia 19/11/16, estivemos fazendo a visita a casa do papai noel e depois fomos à Ri Happy para que ela me mostrasse do jeito dela, qual seria o brinquedo que ela quer. Na verdade eu queria a confirmação, pois por várias vezes ela disse que queria a tal boneca que anda, fala e fecha os olhos para dormir.(kkkk a Peppa Pig  fala assim).

E  ela simplesmente confirmou o que ela vem se expressando há uns 2 meses … Que ela queria A TAL Boneca

E na loja ela viu a baby alive (caríssima por sinal), mas ela quer essa.

Mostramos diversas outras, visitamos todos os corredores da loja, e o pescoço sempre virava em direção ao corredor que ela queria que eu a levasse.

Com muito custo,  muito choro e BIRRA, saímos da loja com uma boneca BEMMMM mais simples . Isso aconteceu depois de mais de 01 hora de estar na loja.. e muito bem explicado as situações e por ques…

Tudo que faço com ela, uso os estímulos sensoriais. Olhar, tocar, sentir cheiros, escutar para que as sensações possam ser aprimoradas. Como sou seus braços e pernas… ajudo nas escolhas motoras… mas nas cognitivas nem as roupas não mando mais.. (kkkkk) .. A escolha é toda dela… em tudo.. Laços, sapatos, roupas.. tudooooo… E  não adianta insistir que tem um gênio bem forte e decidida. (graças a Deus)… O NÃO é bem certeiro..

Um dia a Neuro dela disse que eu iria me surpreender com o cognitivo dela e isso tá acontecendo…. Da maneira dela, ela está conseguindo se comunicar e se fazer entendida.

E quanto a BIRRA, fiquei extremamente irritada e envergonhada na hora, PORÉM MUITO feliz, pois desejei muito isso.

Então hoje o que deixo e digo, Sonhem .. Desejem ..Eesperem pois as situações podem demorar mas acontecem… Borá sonhar!!!!

Boa semana e repleta de REALIZAÇÕES de sonhos…. !!

Bjs Michelle