Arquivo da tag: tempo

Mais MUNDO REAL PLEASE!

Mais MUNDO REAL POR FAVOR!!

O mundo anda cada dia mais individualista, egoísta, egocêntrico, capitalista e cada dia mais consumista.

E a essência do SER está sendo deixada de lado, para prevalecer o TER.

Os valores familiares e humanos se perdendo ao meio ao mundo tecnológico.

Esses dias, temos visto casos de adolescentes cometendo suicídio por causa de um jogo. O jogo que ele entrou, pois estava em momento descontraído e se divertindo em redes sociais. Jogo ao qual ele entrou muitas vezes sem saber o que era e pela imaturidade e falta de confiança na família não consegue pedir ajuda para sair.

O que dizer de situações assim: FALTA DIÁLOGO. FALTAM ABRAÇOS. FALTA A FAMÍLIA.

Quando vejo essa molecadinha de cabeça baixa em seus celulares, vejo reflexo DE NÓS MESMOS. Muitas vezes estamos com família e ligados no cel. Ou vamos sair com os amigos e ao mesmo tempo conectados ao mundo ao invés de se conectar a eles.

Hoje temos a sensação da urgência de estar ligado ao mundo 24h.

PRA QUE? Essa é minha pergunta…

O que vai te acrescentar ficando olhando a vida alheia. Olhando a grama do outro e desmerecendo o seu jardim. O que isso vai melhorar??

Na rede tem muita coisa boa, muitos assuntos legais, mas 95% do que vemos e curtimos é a vida do outro.

Fiz recentemente a experiência de tirar o aplicativo do Facebook do meu celular. E vi que existe VIDAAAAAAAAAAAAAAAAA mais plena sem ele.

É legal ter. É legal postar. Mas esses aplicativos acabam nos dominando. Deixamos muitas vezes de realizar atividades importantes por causa do FB.

Perdemos muito o nosso tempo em navegar…

Perdemos-nos em nossas atividades essenciais que precisavam de soluções rápidas por que fui dar uma fuçadinha no FB e a gente acaba se esquecendo do que realmente era preciso fazer.

Depois que exclui o tal aplicativo consigo voltar a ter foco. Não fico tão mais grudada ao celular quanto antes por que entrava uma atualização eu estava lá olhando o que era.

Tenho postado menos e vivido mais. Não ficar mais ativado o ícone celular das atualizações tem me deixado mais feliz e com mais tempo de viver o mundo real.

Fiquei tão desprendida do tal FB que até esquecendo o celular em casa ou no trabalho tem acontecido e não tenho mais ficado nervosa.

Redes sociais e jogos têm nos aprisionados dentro de nós mesmo. Vivemos o vício da Internet, uma droga boa e viciante que sem a dosagem certa nos leva a morte das relações humanas.

Então hoje desejo que muitos possam ter a dosagem certa do tempo nas redes.

Que muitos dos grilhões virtuais que nos predem possamos ter a escolha de nos libertar.

E viver o mundo real que é mais quente e feliz que a ilusão das redes.

Por mais vida real a todos…

Boa semana !!!!!!!!!!!!!!!!!!

Bjs Michelle

Obs. Quando baixamos a cabeça para nos conectar ao mundo virtual perdemos as lindas oportunidades que o mundo real nos oferece.

Anúncios

Por um Mundo Melhor…

E QUANDO PODEMOS FAZER DIFERENÇA NA VIDA DAS PESSOAS.

Depois que tive uma filha especial, me aflorou vários sentimentos BONS no coração. Passado o tempo da amargura, comecei a ver a vida com novos e brilhantes olhos.

Se a gente já passa de um degrau na escala de evolução do ser humano quando temos filhos, quando se tem um especial que vai demandar de você a vida toda, você ultrapassa alguns a mais.

Muitos valores se transformam em uma velocidade gigante e nos transforma para o bem.

Essa mudança é um questão de querer. Desejar ser pessoas melhores e fazer um mundo mais justo e compreensivo às próximas gerações, depende do nosso desejo.

E nesse querer, Valentina me despertou para várias coisas pequenas mas que são extremamente valorosas. O fato de ter uma filha especial não me faz uma pessoa melhor, mas o fato de valorizar a simplicidade das coisas e querer um mundo melhor para minha filha tem me realizado como pessoa que pode fazer diferença na terra, isso sim me faz melhor, tanto para mim quanto para ela.

São atitudes simples como um “bom dia” com um sorriso no rosto  a quem passa do seu lado me traz alegria no coração.

Desde que Valentina nasceu o meu foco de visão ficou voltado para um mundo inclusivo.

E nessa descoberta, vi que fazendo o nosso pequeno papel podemos ajudar a muitos.

Estou descobrindo as minhas missões na vida, uma delas é trazer luz ao conhecimento das pessoas que ter um filho deficiente não é uma cruz, mas pode ser sua salvação.

Quando temos um filho deficiente, valorizamos o mínimo das coisas e apreciamos o máximo com um desejo intrínseco no coração que o nosso filho possa realizar aquilo.

Não invejamos o outro, apenas desejamos que o nosso possa um dia conseguir o mínimo. E quando damos valor nas pequenas coisas podemos ver a grandeza das situações. Valorar aquilo que é extraordinários as conquistas.

E são nas pequenas atitudes que podemos tornar um mundo melhor. E isso começa em casa para poder aflorar para o mundo. Desde o coletar o lixo e destiná-lo corretamente. Respeitar as vagas exclusivas. Não furar as fila nem os “olhos” de outras pessoas. Alegrar-se com o seu quintal e não desejar viver no quintal do outro. São coisas tão simplistas mas que para algumas pessoas egocêntricas isso é TOO MUCH.

Desde que me despertei a esse mundo especial tenho tomado algumas atitudes pró ativas para melhor a condição de muitos que não as tem. Em casa passamos a recolher os lacres das latinhas de alumínio e a destinamos a projetos que transformam lacres em cadeiras de rodas.

São muitas garrafas Pet´s cheias de lacres (140 un) para transformar 01 vidas. Mas se eu, você, o fulano e a corrente do bem começar a fazer sua parte podemos conseguir. Se cada um fizer um pouco chegamos no muito mais facilmente.

Em nossa loja recolhemos os cupons fiscais que os clientes deixam e doamos a uma entidade que cuida de crianças especiais. Lá eles conseguem transformar o imposto em qualidade de vida pra essas crianças. Vai desde a compra de material, cadeiras, órteses, brinquedos.. e por ai vai.

São as mínimas atitudes que transformam vidas.

Do lixo para a qualidade de vida de muito precisa.

Quando aderimos a nossa credencial da vaga exclusiva, sofri muito e ainda sofro de raiva das pessoas que usam a vaga de idosos ou de deficiente. Tenho vontade de falar poucas e boas, mas como as vezes eu sou impulsivamente agressiva e perco a razão(kkkk) então uso o PROJETO MULTA MORAL que além de ministrar educação à aqueles bons entendedores aos néscios traz um pouco de vergonha. (vejam vídeo abaixo).

E com algumas mudanças e o  desejo querer fazer a diferença podemos fazer a corrente do bem e com o nosso exemplo criar nossos filhos como pessoas melhores para um mundo melhor.

Tenho muito a fazer mas começo com as pequenas que afetam o nosso entorno para que um belo dia as muitas pequenas coisas podem se tornar grandes feitos.

Borá lá fazer um Pouquito ????? …

Um beijo no seu coração

Michelle

Leia também:

Toda inclusão depende de como você olha para ela!

O SOFRIMENTO VEM QUANDO IDEALIZAMOS A PERFEIÇÃO.DIAGNÓSTICO NÃO É DESTINO

Valentina e suas missões!!!!

 

Notas: 

*  Para informações sobre a Multa Moral http://www.acessibilidadenapratica.com.br/multamoral/

** Para informações sobre como doar Notas e cupons Fiscais:  

ILECE – Telefone: (43) 3324-3906 – LAÍS 

*** Campanha Eu ajudo na LATA – Unimed 

http://www.tarobalondrina.com.br/secoes/cidades/2016/08/campanha-eu-ajudo-na-lata-beneficia-instituicoes-com-cadeiras-de-rodas/

REPORTAGEM sobre MULTA MORAL EM LONDRINA

http://www.bonde.com.br/bondenews/londrina/conheca-a-multa-moral-motivo-de-constrangimento-para-motoristas-em-londrina-393013.html

 

 

 

 

 

A diferença entre o remédio e o veneno é apenas a dose!

A Diferença entre o remédio e o veneno é a dose.

Desde ano passado devido a uma série de acontecimentos e necessidades maternas aflorando, decidi que a vida da Valentina não será mais uma loucura. Faremos o que for necessário e pontual mas não mais um turbilhão de coisas como foi até o final do ano passado.

Resolvi aderir ao movimento slow parenting.

Slow Parenting” ou movimento dos pais sem pressa – É o Movimento que prega a desaceleração da rotina das crianças. Esse movimento que busca desenvolver o ritmo de cada família e respeitando o indivíduo como tal.

Desde o nascimento da minha Tulipa, vivemos uma rotina punk de atividades e com a correria vem os stresses e todos os seus agregados, irritabilidade, tensão, medos e afins…

E em agosto do ano passado, esposo ficou desempregado e essa situação gerou um movimento novo em casa de reestruturação financeira. Muitas opções foram e estão sendo mudadas. Estamos revendo nossas prioridades e necessidades. E foi nesse espaço de tempo onde vivemos uma tensão doida por conta das necessidades da Valentina que despertou em mim  alguns desejos como esse diminuir o rtimo e me conectar mais a ela.

Foi um período HARD com muito aprendizado, aumento da cumplicidade e união familiar. Não foi nada fácil mas aprendemos que podemos viver com muito menos e somos felizes assim. Pudemos exercer o desapego e aumentar a valorização pela nossa família.

Não é fácil ter que baixar o nível de status mas também não é difícil.. É só diferente. E em questão de viver a diferença estamos descolados kkkkkk…

E foi nesse momento de desaceleração financeira que pudemos enxergar as necessidades reais ao invés das necessidades ansiosas da mamãe. E foi muitoooo bom enxergar novas possibilidades. Rever as possibilidades financeiras me abriu o leque para outras situações que eu sempre descartara antes, por conta de conceitos pré-concebidos por mim.

Mas voltando a dose do remédio e conectando a nossa situação acima, pude observar que muito da rotina da Valentina era TOO MUCH para nós duas.

E que toda essa loucura que vivíamos foi imposta pela condição da Paralisia cerebral e da minha ansiedade e medos que me rondavam do que ela realmente precisava.

Eu hesitava escutar os conselhos da minha terapeuta Maribel que sempre dizia que a VALENTINA precisava de brincar ao invés de ter uma rotina tão puxada. Sei que todas as fisio, fono e demais são lúdicas mas são TERAPIAS.

Nessas férias brincamos muitos eu e ela, no chão, na piscina, no parque e  nesse processo de dedicação do brincar fui me resolvendo e pontuando o que eu poderia fazer para me melhorar como MÃE.

E decidi ser MÃE  e não mais mãe-terapeuta. Vou ser simplesmente mãe e estou feliz com minha escolha. Não falo que seja definitiva, mas sim pontual para o que sinto hoje.

Vou dedicar duas manhãs inteiras ao brincar, ao rolar no chão, ao assistir desenho juntas, a ir na biblioteca infantil. E vamos ver como minha linda Tulipa se desenvolverá. Estou bem certa das minhas escolhas…. E feliz com isso.

E a dose de tantas atividades, me tolhiam o tempo de brincar com minha filha. Vamos fazer o básico e brincar muito e veremos resultados surpreendentes. Tuod que é em excesso se torna um veneno.

E quando falo dos excessos em criança não falo especificamente na minha e sim no coletivo. Vejo hoje um nível de exigência muito puxado para os pequeninos.  Incluí- se aulas de  natação, balé, robótica e outras atividades extra curriculares e curriculares em excesso onde nossas crianças deixaram de ser crianças para serem mini workhalics.

Queremos preencher o tempo delas e nos esquecemos de sentar no chão para brincar, vamos para cozinhar e socamos a Tv para distraí-los ao invés de levar os pequenos para terem novas experiências com a gente na cozinha. Deixamos de tomar banho juntos por que demanda mais tempo para brincar.

Mas isso não é fácil pois exige paciência e tempo. E ainda exige um sentimento maior de todos o de QUERER.

Então o que falo a todos vocês amigos ..O  tempo passa tão rápido e a nossa correria do trabalho nos impõe um rotina estressante e estafante mas que ainda há lugar para a gente ficar conectado no mundo virtual.

Bora fazer diferença no mundo real para quem está perto de nós..

Bjs e bom resto de semana com muita curtição com essas lindezas.

Michelle

15895305_10205890402258792_9182822706726524404_n 15826421_10205890406538899_7322425932573668483_n dscn5160 passeio-2 passeio-3 passeio-5 passeio-6 img-20161121-wa0005 img-20161126-wa0009 valentina-cozinheira

 

S.O.S ……….FÉRIAS ………..DA MÃE E DO FILHO

 

Quando se fala em férias para filhos especiais, entramos em colapso nervoso e numa dualidade de sentimentos pois sabemos que a necessidade terapêutica é enorme.

Valentina tem uma rotina árdua de atividades desde seus 45 dias de vida. Vai na Fisio e fono. Depois veio Terapia ocupacional, equoterapia, natação, hidroterapia, estimulação precoce… uiii.. E por ai vai…E a cada ano as atividades aumentam e o cansaço aperta cada vez mais cedo.

Então estipulamos que todo o final do ano (dezembro)  ela entra de férias de TUDO, GERAL… E a mocinha adora a sistemática de férias. Ela entendeu perfeitamente e fisicamente o que é estar de férias.

É gostoso e as vezes dolorido nas atividades necessárias, mas as Férias são sensacionais de ganhos … motores,  cognitivos  e de laços afetivos.

Quando as crianças estão em férias elas simplesmente são crianças e não mais pacientes… E isso é show.. Elas deixam de ter obrigações para apensas ter prazer  no brincar e descansar.

E o mais gostoso das férias é que o simples fato de não ter a rotina, muda toda a sistemática de uma casa. Sentimos mais proximidade, menos pressa e mais NORMALIDADE.

E quando digo normalidade é o período onde me sinto mais próxima das pessoas em geral. Sem cobranças terapêuticas e só curtição. Sei que tudo tem ônus e bônus… então nas férias gozamos do bônus, e quando a rotina voltar correremos atrás do ônus (kkk).

Ontem fiquei tão feliz por um simples tempo para brincar sem ter hora de correr para outra atividade, foi  sensacional ver a felicidade estampada no rosto dela. Estávamos  brincando de LEGO em frente ao espelho. E mesmo eu fazendo inconscientemente  a rotina de alongar as pernas, mudar as mãos para tentar pegar objetos e colocar em pé… Minha Tulipa simplesmente curtia o momento de brincadeiras e interação.

A simplicidade de uma brincadeira, a dedicação em tempo exclusivo, o prestar atenção de como ela se porta com determinadas coisas, me deu um alerta no coração que muitas vezes precisamos pisar no freio e ver que mesmo na descida o carro andará. Eu já havia comentando que ela tem um lado canhoto muito perceptivo e ontem eu pude comprovar mesmo essa tal habilidade que no dia a dia.. passa despercebido.

E o que desejo  passar hoje a todos… PISEM NO FREIO!!!  PRESTEM ATENÇÃO…. os pimpolhos estão sedentos por nós.. mães e pais… E quando pequeno é o tempo de plantio.. para que a nossa colheita seja abundante e sadia…

E para minhas amigas e colegas mamães de crianças especiais: TIREM FÉRIAS com seus filhos. Dêem a eles a oportunidade de ficar A TOA sem atividades.

Se dêem o luxo de ficar deitados no sofá só na passividade.  Esse tempo vai gerar  ganhos PSIQUICOS, MOTORES E COGNTIVOS de qualidade incomparável.

NÓS mães e cuidadoras precisamos nos desligar para que possamos nos  conectar emocionalmente a eles… Não conseguiremos uma comunicação alternativa se estivermos cansadas ao ponto de não conseguir interpretar os olhos, os grunhidos e o corpinho se mexendo tentando nos mostrar algo.

Por isso hoje digo a vocês mamis de plantão…. SE DÊEM FÉRIAS E A ELES TAMBÉM que vocês verão ganhos surpreendentes… Tanto neles quanto em vocês!!!

Um Super beijo…

Boas férias com muita curtição

Michelle

Quando o olhar expressa …

Quando o olhar expressa …

O começo de férias é a época os filhos adoram e as mães enlouquecem. Crianças em casa é divertido mas exige  uma dose extra de tempo, paciência, grana e disponibilidade.

Há uma semana, Valentina entrou em férias e se recusou terminantemente a ir a escola para a Colônia de Férias, mesmo eu tendo todas as artimanhas não consegui dobrar a bichinha. E acho até lógico o pensamento dela… Escola é escola.. E colônia de férias é diversão com a mamãe.

Consegui dar uma escapada da loja, para que eu pudesse me dedicar exclusivamente  a minha pequena moleca  e fazer programas que me aproximasse mais e a visse a cada momento mais feliz.

Então resolvi montar roteiros ao qual eu fazia quando era pequena e me sentia muito feliz. Coisas simples que as crianças de hoje em dia não tem mais.

Voltei ao passado e saudosa como estou pude reviver muitos sentimentos bons que me remeteu a minha infância e que pude mostrar isso a minha tulipa e a deixa-la  feliz também pela simplicidade. E sabe o que mais eu pude perceber que a felicidade que ela expressava através do olhar e seu sorriso, me indicava que eu estou no caminho certo.

Fomos a passeios simples, como  uma volta no centro da cidade e sentar para tomar um sorvete que o sorriso mais lindo eu puder ter. No simples dedicar umas horinhas a fez tão feliz que irradiava felicidades.  O seu olhar expressava .. seu corpo falava e seu sorriso encantava.

E essa alegria foi estendida aos primos que levamos juntos e puderam se expressar verbalmente  que eles estavam felizes e eu que eles estavam muito gratos comigo. E te pergunto o que ofereci a eles?????

Ofereci meu tempo, minha alegria e disponibilidade em estar EXCLUSIVAMENTE para eles.

Hoje no mundão que vivemos, é tão difícil de nos desconectarmos da vida virtual para vivermos a vida real e dar vivência aos nossos pequenos.

Muitos não podem dar essa quantidade de tempo que eles desejam .. mas podem dar qualidade de tempo no momento que estiverem com eles…

Então … Bora desligar do virtual e viver o real… porque os dias passam e eles não voltam…

Bom final de semana cheio de deliciosas experiências.

Bjs Michelle

 

passeio-6 passeio-5 passeio-4 passeio-3 passeio-2 passeio-1